Imobiliário Saiba quais os municípios com mais armazéns e espaços industriais no mercado

Saiba quais os municípios com mais armazéns e espaços industriais no mercado

A maior parte dos 3.400 imóveis colocados na plataforma especializada Imofilter, que prepara a internacionalização, só estão disponíveis para arrendamento. Conheça as localizações com maior oferta no mercado português.
Saiba quais os municípios com mais armazéns e espaços industriais no mercado
Miguel Baltazar/Negócios
António Larguesa 24 de novembro de 2017 às 12:56
Gaia (226), Maia (194), Sintra (186), Loures (107) e Matosinhos (99) são os cinco municípios com mais armazéns e espaços industriais disponíveis para compra ou arrendamento, de acordo com um levantamento feito pelo portal Imofilter, especializado nesta tipologia de imóveis.

Com base numa lista com cerca de 3.400 imóveis, um em quada quatro estão localizados nestes cinco concelhos pertencentes às duas áreas metropolitanas do país. As cidades do Porto (7.º) e de Lisboa (14.º) surgem também em destaque no top 15. Cerca de 60% são para arrendamento, 30% para venda e os restantes 10% têm dupla opção.

Já numa análise por distritos, o pódio é ocupado pelo Porto (935), por Lisboa (762) e por Aveiro (532), que representam 65% dos armazéns e espaços industriais no mercado. Na zona da capital – sem especificar a dimensão ou outro indicador –, o valor médio dos imóveis anunciados para venda na plataforma é de 1,8 milhões de euros, baixando para 1,2 milhões de euros no distrito do Porto.

Distribuição da oferta por municípios:

  1. Vila Nova de Gaia – 226
  2. Maia – 194
  3. Sintra – 186
  4. Loures – 107
  5. Matosinhos – 99
  6. Vila Franca de Xira – 94
  7. Porto – 88
  8. Vila do Conde – 84
  9. Mafra – 82
  10. Setúbal – 79
  11. Braga – 74
  12. Palmela – 69
  13. Barcelos – 69
  14. Lisboa – 62
  15. Viseu – 55

 

Criada em 2013 como uma ferramenta online focada na venda e arrendamento de espaços industriais e armazéns, o modelo deste negócio de base familiar assenta na negociação entre o proprietário e o interessado na aquisição ou arrendamento, através das agências imobiliárias clientes da Imofilter. Ou seja, não faz mediação, mas é um ponto de encontro entre a oferta e a procura nesta categoria.

 

Segundo adiantou ao Negócios fonte oficial da empresa, com sede em Matosinhos e cobertura em todo o território nacional, incluindo Madeira e Açores, esta ferramenta vai passar a ser multilingue para "responder à procura estrangeira e dar um passo largo na internacionalização". Na base desta decisão, acrescentou, estará o "interesse por parte de entidades de Espanha e dos PALOP, nomeadamente através dos serviços económicos das suas embaixadas acreditadas em Portugal".

 

Até 26 de Novembro, a empresa vai estar presente na Concreta 2017, uma feira direccionada para a indústria nacional da construção, arquitectura e design, que arrancou esta quinta-feira na Exponor. Ali está a apresentar a nova plataforma Imofilter Partners, operacional desde Outubro, em que os clientes podem procurar e oferecer produtos e serviços de apoio à actividade empresarial e industrial, como explicado num vídeo disponibilizado na Internet.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub