Empresas Salgado: "Carga fiscal do BES é absolutamente brutal"

Salgado: "Carga fiscal do BES é absolutamente brutal"

O presidente executivo do BES considera que os impostos que o banco paga são altos. Veja aqui o vídeo.
Maria João Gago 30 de julho de 2012 às 18:26
“A carga fiscal do BES é absolutamente brutal” sublinhou Ricardo Salgado na apresentação de resultados do primeiro semestre do ano, período em que o banco registou um lucro de 25,5 milhões de euros, o que representa uma queda de 85,7% face ao mesmo período do ano passado.

O banqueiro explicou que o banco pagou 101 milhões de euros de impostos sobre o rendimento porque, pelas regras portuguesas não pode deduzir fiscalmente os prejuízos de 192,4 milhões que teve com as acções da EDP e da PT. “Esta perda não é fiscalmente dedutível” lamentou.

A rubrica dos impostos foi uma das que mais penalizou os resultados do primeiro semestre do ano. Os impostos sobre os lucros ascenderam a 101,4 milhões de euros, contra um valor negativo de 6,4 milhões de euros no período homólogo, devido à“não elegibilidade fiscal das perdas realizadas nas participações estratégicas”do banco. No primeiro semestre o BES passou a consolidar o BES Vida de forma integral, o que teve impacto nas contribuições fiscais do banco.







A sua opinião47
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
josé 31.07.2012

Gralha “levarem”

josé 31.07.2012

A carga fiscal é brutal quem são os brutos que a criaram, quando era pequena não teve educação agora ficou brutal com a agravante de serem os mais frágeis a levam com a besta.

Anónimo 31.07.2012

nÃO FALA DOS BENEFICIOS FISCAIS. MAS COMO NÃO VENDEU AS AÇÕES AINDA NÃO TEVE O PREJUIZO, SO EM TERMOS CONTABILISTICOS.

José Silva 31.07.2012

Quanto é que pagaram de IRC sobre as luvas dos submarinos ??

ver mais comentários
pub