Comércio Salsa entra em Itália, Grécia e Canárias

Salsa entra em Itália, Grécia e Canárias

A internacionalização de várias insígnias da Sonae, como a Worten, a Zippy ou a Salsa, tem contribuído para o crescimento do volume de negócios da Sonae. E o objectivo é continuar a trajecto de expansão, garantiu Luís Reis, CCCO da Sonae.
Salsa entra em Itália, Grécia e Canárias
Paulo Duarte
Sara Ribeiro 24 de agosto de 2017 às 08:00
A internacionalização de várias insígnias do grupo, como a Worten, a Zippy ou a Salsa, tem contribuído para o crescimento do volume de negócios da Sonae. E o objectivo é continuar a trajecto de expansão, garantiu ao Negócios Luís Reis, "chief corporate center officer" (CCCO) da Sonae.

A marca de roupa Salsa foi um dos exemplos destacados pelo responsável. "A Salsa está neste momento a entrar na Itália, Grécia, República Checa e Canárias", revelou.

Tal como tem acontecido até agora, a estratégia passa por implementar a marca portuguesa em lojas multimarca. A abertura de lojas próprias não é excluída pelo gestor, mas depende da evolução das vendas em cada mercado.

As vendas internacionais da divisão "sports & fashion", onde a Sport Zone também está incluída, representaram 40% das receitas totais deste segmento no primeiro semestre, referiu Luís Reis. As receitas desta divisão aumentaram 28,8% nos primeiros seis meses do ano para 270 milhões de euros, "com todos os negócios a contribuir de forma positiva".

No caso da Worten, a internacionalização também está a ganhar cada vez mais peso. No primeiro semestre deste ano, "um terço das vendas foram feitas fora de Portugal", acrescentou o gestor. No total, o volume de negócios da Worten ascendeu a 435 milhões de euros, em Portugal e em Espanha. Um valor que traduz um crescimento de 31 milhões face aos primeiros seis meses de 2016.

No geral, o volume de negócios da empresa liderada por Paulo Azevedo cifrou-se até Junho em 2,6 mil milhões de euros, um crescimento de 8% face ao período homólogo do ano passado.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub