Empresas Salvação da Greenfiber Tech nas mãos do Estado
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Salvação da Greenfiber Tech nas mãos do Estado

Com dívidas de 4,3 milhões de euros e vendas de 450 mil euros, a produtora de pavimentos Greenfiber Tech, cujo capital e lista de credores são liderados por entidades estatais, recorreu ao Processo Especial de Revitalização (PER).
Salvação da Greenfiber Tech nas mãos do Estado
Jorge Santos, o fundador da Greenfiber, e o filho Nuno, presidente da empresa, esperam que os credores aprovem o PER.
Rui Neves 27 de agosto de 2017 às 23:15

Em Janeiro de 2010, Jorge Santos deixou a administração da Corticeira Amorim, onde esteve 20 anos, e tornou-se empresário com a criação, em Agosto do ano seguinte, da Greenfiber Tech – uma empresa que pretendia

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub