Banca & Finanças Santander desiste de separar negócios no Reino Unido após Brexit

Santander desiste de separar negócios no Reino Unido após Brexit

A divisão entre negócios de banca de retalho e empresarial destinava-se a cumprir os requisitos de controlo de riscos e proteger os pequenos clientes. O banco espanhol está a discutir novas medidas com a autoridade monetárias britânica.
Santander desiste de separar negócios no Reino Unido após Brexit
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 28 de Novembro de 2016 às 13:45

O banco Santander abandonou a intenção de separar as suas unidades de negócio de crédito ao consumo e de banca empresarial no Reino Unido. A decisão de travar o plano foi tomada depois do referendo que determinou a saída daquele país da União Europeia, avança a Bloomberg citando fonte não identificada do banco espanhol.

A separação das duas actividades pretendia responder às exigências de controlo de riscos do Banco de Inglaterra, destinadas a proteger as operações de retalho. Com este cenário posto de lado, a instituição está agora a negociar com a entidade liderada por Mark Carney novas propostas que contribuam para isolar de risco as operações com clientes finais.

A carteira de activos associada a pequenos clientes ascendia a 173 mil milhões de libras (202,5 mil milhões de euros) enquanto a de grandes clientes totalizava cerca de 32,8 mil milhões de euros.

"O Brexit criou um dilema para o Santander no que diz respeito à necessidade de controlar os riscos das suas operações de retalho no Reino Unido. (…) Se o banco deslocalizar as suas operações não protegidas para fora do Reino Unido, qualquer interrupção na sua relação com grandes clientes internacionais será, provavelmente, limitada", afirmou Jonathan Tyce, analista da Bloomberg Intelligence.


A suspensão do processo dará assim mais flexibilidade ao quinto maior banco de retalho presente no país para poder transferir, se assim o entender devido às consequências do Brexit, parte das suas operações para fora do Reino Unido.


A Bloomberg refere, citando fonte não identificada, que uma das soluções pode passar por gerir soluções financeiras mais complexas e de maior risco através da representação do banco em Londres, enquanto a subsidiária do Santander absorveria o máximo de activos comerciais e de retalho permitidos pelas regras de isolamento de risco do Banco de Inglaterra.


Numa posição remetida por e-mail, o banco espanhol diz-se comprometido a apoiar os clientes no Reino Unido e aumentar a presença naquele país.

As acções do Santander caem 0,51% para 4,26 euros.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub