Bolsa Schneider Electric acorda combinação com a Aveva

Schneider Electric acorda combinação com a Aveva

A junção de negócios, que passa por emissão de novas acções e pagamento de mais de 600 milhões de libras aos accionistas da Aviva, une o maior fabricante de equipamentos de baixa e média voltagem e a empresa de software industrial.
Schneider Electric acorda combinação com a Aveva
Bloomberg
Negócios com Bloomberg 05 de setembro de 2017 às 11:02
A Schneider Electric, a maior fabricante de equipamentos de baixa e média voltagem, anunciou a entrada no capital da empresa de software industrial Aveva Group, efectivando ao fim de três tentativas de aproximação um negócio que há mais de um ano tinha ficado pelo caminho. 

Com a combinação de negócios, a Schneider Electric, através da sua unidade de software, vai subscrever novas acções no valor de 1.700 milhões de libras (1.849 milhões de euros à cotação actual) da britânica Aveva, garantindo àquela empresa francesa uma posição de controlo de 60%.

Além disso, a Schneider pagará 550 milhões de libras em dinheiro, que será distribuído aos actuais accionistas da Aveva. Os titulares de acções receberão adicionalmente 100 milhões de libras, oriundos das contas da Aveva.

No total, o negócio cifrar-se-á em 2.350 milhões de libras, 2.556 milhões de euros à cotação actual.

A combinação dos negócios das duas empresas dará origem a uma companhia de software industrial e de engenharia com capacidade de desenhar e operar projectos de engenharia que vão desde motores a diesel até centrais nucleares, somando vendas de 657,5 milhões de libras, avança a Bloomberg.

As acções da Aveva somam 28,44% em Londres para 2.466 pence, enquanto as da Schneider Electric ganham 0,29% para 69,09 euros em Paris.

Esta é a segunda aquisição em cerca de dois meses para a Schneider, que em Julho acordou a compra da ASCO Power Technologies por 1.250 milhões de dólares.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar