Start-ups Science4You recebe financiamento de 10 milhões de euros do BEI

Science4You recebe financiamento de 10 milhões de euros do BEI

A empresa de brinquedos assinou um acordo de financiamento, no valor de 10 milhões de euros, com o Banco Europeu de Investimento. Com este montante, empresa vai nomeadamente aperfeiçoar os processos de produção, lançar novos produtos e expandir para novos mercados.
Science4You recebe financiamento de 10 milhões de euros do BEI
Pedro Elias
Ana Laranjeiro 06 de novembro de 2017 às 12:13

A empresa de brinquedos Science4You assinou um acordo de financiamento no valor de 10 milhões de euros com o Banco Europeu de Investimento.

Ao Negócios, o líder da empresa, Miguel Pina Martins, explicou que este financiamento de 10 milhões de euros "tem essencialmente quatro objectivos: aperfeiçoar os processos de produção através da compra de novos equipamentos e licenças; lançar novos produtos com base no conceito STEM, que combina Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática; continuar a expansão para os mercados externos que já representam 60% das vendas e continuar a desenvolver e implementar a nossa estratégia de e-commerce, fundamental para o nosso sucesso futuro".

Este projecto vai ser implementado ao longo dos próximos três anos e meio e vai permitir a criação de postos de trabalho. Até ao final de 2020, a empresa de brinquedos espera ter uma força de trabalho de 660 pessoas, de acordo com o líder da empresa. "Estas contratações decorrerão, na maioria, em Portugal".


A empresa liderada por Miguel Pina Martins avançava no início do ano que prevista atingir os 23 milhões de euros em facturação em 2017. Questionado, o líder aponta que as perspectivas são "positivas".

"Estamos a aproximar-nos do final do ano, o Natal, que se traduz na época mais importante para a Science4you em termos de vendas. A nível internacional, a maioria das encomendas já estão fechadas, mas para o mercado português vamos continuar a produzir até à semana que antecede o Natal. As perspectivas são positivas e acreditamos que vamos fechar o ano dentro dos valores previstos", sublinhou.

 

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado bazanga 06.11.2017

Não devia ser permitido financiar com este tipo de financiamento empresas que desrespeitam os trabalhadores, iludindo a lei, ou cometendo crimes que violam o código do trabalho.

comentários mais recentes
Johnny 06.11.2017

Brinquedos caros que não valem nada
Este vai ser outro empréstimo que os contribuintes vão pagar caro...

bazanga 06.11.2017

Não devia ser permitido financiar com este tipo de financiamento empresas que desrespeitam os trabalhadores, iludindo a lei, ou cometendo crimes que violam o código do trabalho.