Construção SDC Investimentos vende concessões à espanhola Globalvia por 126,5 milhões

SDC Investimentos vende concessões à espanhola Globalvia por 126,5 milhões

A alienação das sociedades que operam nas concessões Beira Interior e da Autoestrada Transmontana foi comunicada esta sexta-feira ao mercado. Terá um impacto negativo de 19 milhões nos resultados consolidados.
SDC Investimentos vende concessões à espanhola Globalvia por 126,5 milhões
DR
Paulo Zacarias Gomes 23 de Dezembro de 2016 às 18:02

A SDC Investimentos, através da SDC Concessões, vendeu à espanhola Globalvia Inversiones participações nas concessões de estradas Beira Interior e subconcessão Autoestrada Transmontana. A transacção baseou-se, de acordo com o comunicado enviado esta sexta-feira, 23 de Dezembro, à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), num "entreprise value" de 126,5 milhões de euros.

Em causa estão as participações em quatro empresas que operam na concessão Beira Interior (a Intevias, a Scutvias, a MRNManutenção de Rodovias Nacionais e a Portvias) e em três sociedades no âmbito da subconcessão da Autoestrada Transmontana (Auto–Estradas XXI Transmontana, Operestradas XXI, e Exproestradas XXI).

De acordo com informações no site da empresa, a companhia detém 33,33% da Scutvias e 46% da Autoestradas XXI.

A venda inclui, segundo o comunicado, "assunção de passivos, substituição ou libertação de responsabilidades e pagamento em dinheiro" e terá um impacto negativo estimado nos resultados consolidados de cerca de 19 milhões de euros.

Já o passivo consolidado será reduzido em cerca de 71 milhões de euros e os capitais próprios deverão ser reforçados em cerca de 25 milhões.

A operação está ainda dependente de outros accionistas exercerem direitos e a autorização externa, com a SDC Investimentos a prever que o negócio esteja fechado durante o segundo trimestre do próximo ano.

Num outro comunicado à CMVM, a empresa anunciou que registará uma imparidade na conta de outros activos financeiros pelo valor da participação na SDC Construção, por reapreciação "do justo valor deste investimento". O impacto nos capitais próprios consolidados será de 33,5 milhões de euros.

A sucessora do grupo Soares da Costa é detida, na sua maioria - 58,85% - por Manuel Fino.

No final de Novembro, a SDC anunciou que não vai pagar uma dívida de 20 milhões de euros ao BCP, justificando que a dívida aos bancos está ainda a ser renegociada. Com a decisão de não pagamento, a empresa entrou formalmente em incumprimento.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub