Bolsa SDC não sabe porque triplicou de cotação em três dias

SDC não sabe porque triplicou de cotação em três dias

A CMVM pediu à SDC Investimentos para esclarecer o que poderá estar a influenciar a negociação das suas acções. Os títulos, que negociavam em torno de 2,7 cêntimos até quinta-feira, já superaram os 10 cêntimos.
SDC não sabe porque triplicou de cotação em três dias
Cátia Barbosa/Negócios
Diogo Cavaleiro 03 de outubro de 2017 às 15:05

A SDC Investimentos desconhece qualquer motivo que justifique a recente evolução bolsista, na qual já mais do que triplicou de valor em três sessões. Foi essa a resposta dada pela empresa a um pedido de informação da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

 

"A SDC Investimentos, SGPS, S.A. informa, ao abrigo do disposto no artigo 248.º do Código dos Valores Mobiliários e conforme solicitação da CMVM, que não tem, nesta data, qualquer informação privilegiada ou materialmente relevante que, em seu entender, possa ter influenciado de forma sensível a cotação ou o volume de transacções das acções da SDC Investimentos, SGPS, S.A., nos termos verificados desde o dia 29 de Setembro, ou possa vir a influenciar essa mesma cotação ou volume de transacções", indica o comunicado emitido na tarde desta terça-feira, 3 de Outubro.

 

A informação oficial da empresa vem em linha com o que já tinha sido transmitido ontem ao Negócios por parte do presidente executivo, António Castro Henriques (na foto), que é também accionista através da Investéder.

 

Esta terça-feira, as acções da SDC Investimentos, empresa centrada no imobiliário e accionista minoritária da Soares da Costa Construções, fecharam a disparar 61,02% para valer 9,5 cêntimos por acção. Durante a sessão, a valorização foi próxima de 73%, altura em que tocaram nos 10,2 cêntimos.

 

A evolução desta terça-feira segue-se ao ganho de 59% do dia anterior e de 32% na sexta-feira. Neste período, a cotação mais do que triplicou. A empresa negociava em torno de 2,7 cêntimos desde a oferta pública de aquisição lançada pela Investéder àquele preço. A Investéder é uma sociedade constituída pelos gestores da SDC Investimentos António Castro Henriques e Gonçalo Andrade Santos.

 

Apesar de não haver nenhum factor que justifique a evolução da empresa, a troca de acções tem sido invulgar: só esta terça-feira negociaram perto de 16,3 milhões de títulos da SDC Investimentos. Nas últimas três sessões, já foram transaccionadas quase 19 milhões de acções, o que representa 14% do capital existente da empresa. A Investéder é dona de quase 77%. 

(Notícia actualizada às 16:45 com cotações de fecho)




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ventura Santos Há 2 semanas

Sim, quando as ações são boas, eu compro logo muitas. Nestas, já gastei todo o lucro que tive este ano com as exportações colombianas ...

nin Há 2 semanas

Tretas. Alguém sabe, como de costume. A seu tempo saberemos. Sorte dos daytraders, que têm sofrido com essas cotadas, mas cuidado, se não há razão para subir, a descida será igualmente brutal.
Palmas para a CMVM, que continua a crer que investigar é telefonar a um tipo a perguntar o que se passa.

Anónimo Há 2 semanas

A CMVM só pede explicações quando as cotações sobem, mas quando um título desce bastante e de forma constante não solicita informações. Muito mau para um supervisor... A SDC teve a descer desde a venda ao Mosquito da Soares da Costa até a ridícula cotação de 0,027 €

ahah Há 2 semanas

Se nao estou enganado, a Soares da Costa de que a SDC tem 30%, tem que ser indemnizada por o estado portugues ter anulado o concurso de construçao do TGV (Poceirao?) que tinha sido adjudicado a SC, indemnizaçao que podera estar em vias de soluçao e que justificará esta explosao do titulo.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub