Automóvel Seat congela baptismo do novo SUV devido a tensão na Catalunha

Seat congela baptismo do novo SUV devido a tensão na Catalunha

A marca sediada na Catalunha tinha previsto anunciar o nome do seu novo modelo este mês, mas decidiu adiar devido às tensões entre Barcelona e Madrid. Mas a produção vai arrancar em 2018, conforme planeado.
Seat congela baptismo do novo SUV devido a tensão na Catalunha
André Cabrita-Mendes 17 de outubro de 2017 às 11:23
A Seat congelou o baptismo do seu novo modelo devido à tensão vivida na Catalunha. A marca espanhola tinha previsto anunciar até 15 de Outubro qual o nome do seu novo SUV, mas agora adiou o anúncio sem nova data.

Contudo, a produção vai arrancar conforme planeado, ao longo de 2018. Este modelo vai ser produzido na Alemanha e não na casa da Seat na fábrica de Martorell na província de Barcelona, na Catalunha, avança o jornal Cinco Dias esta terça-feira, 17 de Outubro.

A empresa, que pertence ao grupo Volkswagen, realizou um inquérito onde participaram 133 mil pessoas que escolheram quatro cidades espanholas que podem vir a dar nome ao modelo: Alborán, Aranda, Ávila e Tarraco. Esta foi a primeira vez que o nome de um modelo da Seat foi escolhido por decisão popular.

Mas a administração da produtora automóvel decidiu suspender o anúncio do nome devido ao aumentar da tensão entre o governo regional e o Governo espanhol, após a realização do referendo sobre a independência da Catalunha, segundo fontes citadas pelo jornal Cinco Dias esta terça-feira, 17 de Outubro.

Durante a greve-geral na Catalunha de 3 de Outubro, em protesto contra a actuação policial no referendo de 1 de Outubro, a produção na fábrica da Seat foi afectada por algumas peças não terem conseguido chegar.

Apesar de várias empresas já terem decidido alterar as suas sedes sociais para outras regiões de Espanha, a Seat garante que vai continuar fiel à Catalunha, mas exige um "ambiente político estável que permita continuar a investir para gerar crescimento e emprego".

"A Seat é uma empresa enraizada em Barcelona, Catalunha e Espanha. Ao mesmo tempo, é uma multinacional com uma visão global e como qualquer empresa precisa de um ambiente político estável", disse um porta-voz da marca no dia 6 de Outubro.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub