Agricultura e Pescas Seca extrema agravou-se no interior alentejano, seca severa melhorou na 1.ª quinzena

Seca extrema agravou-se no interior alentejano, seca severa melhorou na 1.ª quinzena

A situação de seca extrema agravou-se no interior do Alentejo na primeira quinzena de Julho, mas a seca severa melhorou ligeiramente, sobretudo na região Norte de Portugal continental, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).
Seca extrema agravou-se no interior alentejano, seca severa melhorou na 1.ª quinzena
Lusa 27 de julho de 2017 às 15:48
De acordo com fonte do IPMA, 78% do território estava no fim da primeira quinzena deste mês em seca severa e extrema, um valor um pouco mais baixo do que o registado no final de Junho (80%).

Para este ligeiro desagravamento da seca severa contribuiu a precipitação na região Norte, sobretudo nas zonas de Montalegre e Cabril (distrito de Vila Real).

No final de Junho, quase 80% de Portugal continental estava em situação de seca severa e extrema, de acordo com o boletim climatológico do IPMA, que caracterizou aquele mês como "extremamente quente e muito seco".

O boletim de Junho indica que no final do mês estava em seca severa 72,3% do território e em seca extrema 7,3%.

O IPMA classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre "chuva extrema" e "seca extrema".

No relatório, o Instituto classificou o mês de Junho em Portugal continental como "extremamente quente e muito seco", sendo considerado o terceiro mês mais quente desde 1931, depois de 2004 e 2005.

De acordo com o IPMA, o valor médio da temperatura máxima do ar (29,57 graus Celsius), foi o 3.º mais alto desde 1931 (o maior valor da temperatura máxima, 30,14 graus Celsius, ocorreu em 2004).

"O valor médio da temperatura mínima do ar (15,10 graus Celsius) foi o 4.º mais alto desde 1931 [o valor mais alto tinha sido em 2004 com 16,36 graus Celsius]", é referido.

Segundo o boletim, em Portugal continental, o dia 17 de Junho foi o mais quente, com cerca de 85% das estações meteorológicas a registarem valores da temperatura máxima superiores a 35 graus Celsius (dias muito quentes) e cerca de 50% com valores acima dos 40 graus Celsius (dias extremamente quentes).

No que diz respeito á precipitação, o mês de Junho classificou-se como muito seco, com um valor médio de precipitação em Portugal continental de 9,6 milímetros, o que corresponde a 30% do valor médio.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mr.Tuga 27.07.2017

Mas os tugas não param de lavar os popós e os pateos e passeios....
O BRONCO tuga adora DESPERDIÇAR águas de forma grosseira!
Tuga troglodita e imbecil!

Saber mais e Alertas
pub