Indústria Seis mil compradores de tecidos e moda "aterram" no Sá Carneiro

Seis mil compradores de tecidos e moda "aterram" no Sá Carneiro

O Modtíssimo volta ao piso 3 do aeroporto entre 15 e 16 de Fevereiro. Expositores de tecidos, confeccionadores e marcas de vestuário mostram perto de 400 colecções aos visitantes nacionais e estrangeiros.
Seis mil compradores de tecidos e moda "aterram" no Sá Carneiro
António Larguesa 13 de fevereiro de 2017 às 12:31

O Modtíssimo, que se apresenta como o "único salão da fileira têxtil nacional", arranca esta quarta-feira, 15 de Fevereiro, no aeroporto Francisco Sá Carneiro. É a segunda vez que este evento, que se prolonga por dois dias, ocupa o piso 3 (das partidas), depois da experiência "pioneira em todo o mundo", há um ano, de organizar uma feira numa infra-estrutura aeroportuária em funcionamento.

 

Segundo disse ao Negócios fonte da organização, esta 49.ª edição vai receber cerca de seis mil visitantes, compostos por compradores nacionais e internacionais, que vêm à Maia para conhecer perto de 400 colecções apresentadas por expositores de tecidos e acessórios para confecção e por marcas de vestuário e confecção "private label", do segmento infantil à lingerie.

 

Aliás, nesta edição, que conta com um amplo programa de seminários e apresentações de tendências no auditório do aeroporto, a maior novidade é mesmo a aposta no subsector da moda infantil. Representado na feira por 18 marcas expositoras, este segmento terá um espaço designado "Mini-Mi Porto Fashion Week", que incluirá desfiles de moda de crianças.

 

Em 2016, as exportações da indústria têxtil e de vestuário portuguesa superaram a barreira dos 5.000 milhões de euros, fechando o ano com um crescimento homólogo a rondar os 5%, e quase tocando o pico das vendas ao exterior (5.073 milhões de euros), obtido no já longínquo ano de 2001, agora com quase metade das empresas e dos trabalhadores.

O Modtíssimo é organizado pela Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP), pela Associação Nacional dos Industriais de Lanifícios (ANIL) e pela Selectiva Moda, o "braço" do sector para a internacionalização, liderada por Manuel Serrão. Em paralelo, pela nona vez acontece a Porto Fashion Week, com uma série de acções paralelas, como o Fashion District, o concurso de fotografia Fashion People, o Fashion Film Festival e o Porto Fashion Week’s Night Out.

 

Com realização bianual, este salão arrancou em 1992 como uma exposição de tecidos estrangeiros. De um hotel de Espinho passou logo na terceira edição para a Exponor, em Matosinhos, alargando o âmbito a expositores de tecidos portugueses e, mais tarde, a confeccionadores e aos têxteis técnicos.

Desde a 27.ª edição que tem a Alfândega do Porto como "casa mãe", embora tenha já realizado edições especiais noutros locais, como o hotel Sheraton e agora o aeroporto que serve a região Norte, que em 2016 atingiu, pela primeira vez, os nove milhões de passageiros.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 13.02.2017

Portugal tem de aproveitar a oportunidade, é por isso que deve existir a união de todos, desde os sindicatos aos empresários, com as mais valias a distribuir por todos e os fiscalizadores fecharem os olhos e deixarem andar.

pub