Empresas Siemens quer eliminar até 20 mil postos de trabalho

Siemens quer eliminar até 20 mil postos de trabalho

Segundo a revista alemã Manager-Magazin, os cortes serão em áreas administrativas, incluindo recursos humanos e os departamentos financeiro e jurídico
Siemens quer eliminar até 20 mil postos de trabalho
Bloomberg
Negócios com Bloomberg 23 de agosto de 2018 às 13:09

A aposta da Siemens na promoção da eficiência deverá resultar na eliminação de mais 20 mil postos de trabalho na área administrativa, avança a revista alemã Manager-Magazin, citando comentários do CEO Joe Kaeser aos investidores, este mês.

De acordo com esta publicação mensal, citada pela Bloomberg, este corte, que deverá afectar as áreas de recursos humanos e os departamentos financeiro e jurídico, insere-se no plano Visão 2020, que visa simplificar a estrutura da empresa alemã de engenharia.

Esta redução significaria um corte de 5% na força de trabalho total da empresa, que conta actualmente com 380 mil funcionários.

Segundo a revista alemã, o CEO da Siemens deu estas informações em encontros com investidores, onde reafirmou o seu objectivo de aumentar a eficiência em 20% nas funções administrativas e gerar poupanças de 20% nas áreas de tecnologias da informação e serviços partilhados. Essas poupanças ajudarão a elevar a margem em 2 pontos percentuais, em linha com a meta do plano Visão 2020.

Esta intenção de cortar o número de postos de trabalho é conhecida dias depois de a Siemens ter anunciado que pretende reduzir o número de divisões operacionais de cinco para três, à medida que se concentra nas áreas do software de produção e distribuição de energia.

Há menos de um ano, a empresa alemã já havia anunciado que iria reduzir em quase sete mil o número de empregos, sobretudo na área de negócios de energia e gás, e encerrar pelo menos duas localizações, as instalações de Goerlitz (onde são produzidas turbinas de gás) e Leipzig.      

As acções da Siemens, empresa que marca uma forte presença em Portugal, estão a valorizar 0,45% para 111,50 euros na bolsa de Frankfurt.




pub