Automóvel Smart pede ao Governo mais apoios para a compra de carro eléctrico

Smart pede ao Governo mais apoios para a compra de carro eléctrico

A marca automóvel atingiu em Portugal o maior peso na quota de mercado a nível mundial em 2017, ultrapassando Itália.
Smart pede ao Governo mais apoios para a compra de carro eléctrico
André Cabrita-Mendes 08 de janeiro de 2018 às 13:20

A Smart pediu ao Governo para aumentar os incentivos para os portugueses comprarem carro eléctrico. A marca automóvel considera que o actual incentivo anual de 2,25 milhões de euros, que permite a compra de mil carros eléctricos por ano, não é suficiente para o crescimento de vendas registado no país.

 

"Era importante que o Governo não limitasse os incentivos à mobilidade eléctrica. Seria desejável para o bem de todos nós que estes incentivos continuassem a ter um apoio", disse o responsável pela marca em Portugal, Bernardo Villa esta segunda-feira, 8 de Janeiro, em Lisboa durante a apresentação dos resultados anuais de vendas.

 

Apesar de ainda não haver dados definitivos de vendas, tudo aponta que as vendas dispararam em 2017, à semelhança do que aconteceu em 2016. Bernardo Villa aponta que se as vendas continuarem a crescer desta forma o cheque de 2.250 euros estará totalmente atribuído na primeira metade do ano.

 

A marca Smart registou o segundo melhor ano de sempre em Portugal, com 3.126 unidades vendidas, com um crescimento de 3% face a 2016. Deste total, 137 correspondem a Smart eléctricos.

 

Portugal foi em 2017 o país onde a marca Smart atingiu a maior quota de mercado percentual no mercado total. Portugal bateu Itália em 2017 como o país onde os carros do grupo Daimler mais pesam nas vendas no mercado.

 

"Batemos finalmente os italianos", disse director de vendas da Smart, Bernardo Villa, durante a apresentação dos resultados anuais do grupo Daimler em Portugal.




Saber mais e Alertas
pub