Imobiliário Só o mercado imobiliário irlandês cresce mais do que o português

Só o mercado imobiliário irlandês cresce mais do que o português

Estudo da DBRS coloca o preço do imobiliário português com uma subida média de 10%. Na Irlanda o aumento dos preços foi na ordem dos 12%
Só o mercado imobiliário irlandês cresce mais do que o português
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 31 de janeiro de 2018 às 10:34

O mercado imobiliário irlandês foi o que mais cresceu na Europa durante o terceiro trimestre de 2017, revela um estudo da DBRS tornado público esta quarta-feira, 31 de Janeiro. Logo a seguir surgem Portugal e a Holanda como os países onde este sector registou maior subida.

Segundo a DBRS, o preço das casas aumentou 12% na Irlanda e 10% em Portugal e na Holanda. O quarto mercado imobiliário europeu com a subida mais pronunciada foi o espanhol, 7%.

Este crescimento do sector acontece depois de um período de 10 anos em que o preço das casas na Europa registou um forte abrandamento, devido à crise económica. O único mercado imobiliário europeu ainda com uma variação negativa, -1%, é a Itália.

O estudo da DBRS conclui ainda que existe uma desaceleração dos preços do imobiliário no Reino Unido, atribuindo este facto ao Brexit. Igualmente em queda, mais ainda com variações positivas estão a Suécia (8%) e a Noruega (2%).




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
CaTu 31.01.2018

Portugal, Irlanda só falta a Espanha para termos um filme com um final conhecido

Anónimo 31.01.2018

Dizer-se que Portugal é pobre é manifestamente exagerado. Portugal padece de muito má alocação dos factores produtivos por força das leis e das mentalidades anacrónicas que o têm regido. A flexibilização do mercado e das regras laborais permitiu que se criasse emprego com real procura de mercado e portanto capaz de criar algum valor. Sem ela, Portugal continuaria numa espiral recessiva de empobrecimento e dependência de ajuda externa mesmo em época de vacas gordas no mundo inteiro. O futuro, contudo, não deixa de ser preocupante porque Portugal tem muita gente que estúpida ou oportunisticamente não sabe, ou finge não saber, disto.

labareda 31.01.2018

Tudo graças ao "fim" da lei das rendas Antigas

General Ciresp 31.01.2018

Um portugues a trabalhar fora do pais ate se ri ao ler semelhante noticia.vivemos num mundo aberto,mais cuidado na noticia.

Saber mais e Alertas
pub