Imobiliário Só o mercado imobiliário irlandês cresce mais do que o português

Só o mercado imobiliário irlandês cresce mais do que o português

Estudo da DBRS coloca o preço do imobiliário português com uma subida média de 10%. Na Irlanda o aumento dos preços foi na ordem dos 12%
Só o mercado imobiliário irlandês cresce mais do que o português
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 31 de janeiro de 2018 às 10:34

O mercado imobiliário irlandês foi o que mais cresceu na Europa durante o terceiro trimestre de 2017, revela um estudo da DBRS tornado público esta quarta-feira, 31 de Janeiro. Logo a seguir surgem Portugal e a Holanda como os países onde este sector registou maior subida.

Segundo a DBRS, o preço das casas aumentou 12% na Irlanda e 10% em Portugal e na Holanda. O quarto mercado imobiliário europeu com a subida mais pronunciada foi o espanhol, 7%.

Este crescimento do sector acontece depois de um período de 10 anos em que o preço das casas na Europa registou um forte abrandamento, devido à crise económica. O único mercado imobiliário europeu ainda com uma variação negativa, -1%, é a Itália.

O estudo da DBRS conclui ainda que existe uma desaceleração dos preços do imobiliário no Reino Unido, atribuindo este facto ao Brexit. Igualmente em queda, mais ainda com variações positivas estão a Suécia (8%) e a Noruega (2%).




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
CaTu Há 2 semanas

Portugal, Irlanda só falta a Espanha para termos um filme com um final conhecido

Anónimo Há 2 semanas

Dizer-se que Portugal é pobre é manifestamente exagerado. Portugal padece de muito má alocação dos factores produtivos por força das leis e das mentalidades anacrónicas que o têm regido. A flexibilização do mercado e das regras laborais permitiu que se criasse emprego com real procura de mercado e portanto capaz de criar algum valor. Sem ela, Portugal continuaria numa espiral recessiva de empobrecimento e dependência de ajuda externa mesmo em época de vacas gordas no mundo inteiro. O futuro, contudo, não deixa de ser preocupante porque Portugal tem muita gente que estúpida ou oportunisticamente não sabe, ou finge não saber, disto.

labareda Há 2 semanas

Tudo graças ao "fim" da lei das rendas Antigas

General Ciresp Há 2 semanas

Um portugues a trabalhar fora do pais ate se ri ao ler semelhante noticia.vivemos num mundo aberto,mais cuidado na noticia.

Saber mais e Alertas
pub