Construção Soares da Costa cede participação em obras de 280 milhões em Luanda a outra empresa

Soares da Costa cede participação em obras de 280 milhões em Luanda a outra empresa

A Soares da Costa cedeu a sua participação em duas obras de abastecimento de água entregues pelo Governo angolano, no valor de 280 milhões de euros, a uma outra empresa, também de origem portuguesa.
Soares da Costa cede participação em obras de 280 milhões em Luanda a outra empresa
Lusa 18 de julho de 2017 às 17:26
De acordo com dois despachos governamentais de 12 de Julho, aos quais a Lusa teve acesso esta terça-feira, 18 de Julho, a "cessão da posição contratual e respectivas responsabilidades" por parte da Soares da Costa à empresa Centro Cerro Angola foi aprovada, em ambos os casos, pelo Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, mas sem que os documentos adiantem qualquer explicação.

A filial em Angola da Centro Cerro, com sede na Figueira da Foz, Portugal, já tinha sido contratada anteriormente para outras quatro obras, envolvendo a reabilitação das estações de tratamento de água de Luanda Sudeste e Luanda Sul, a construção do centro de distribuição de água do aeroporto e a implementação de um projecto de telegestão destes equipamentos, por 36,7 milhões de dólares (31,7 milhões de euros).

Aquela construtora recebe agora a obra encomendada em Janeiro de 2016 à Soares da Costa (em consórcio com as empresas Degremont e Mota-Engil), para a realização de estudos, projecto executivo e construção da captação, estação de bombagem de água bruta, conduta elevatória, estação de tratamento de água e edifícios e instalações auxiliares do sistema de distribuição, em Luanda, por 313,8 milhões de dólares (271,2 milhões de euros).

A segunda encomenda da Soares da Costa (no mesmo consórcio) que passa para a Centro Cerro, também em Luanda, corresponde à realização de estudos, projecto executivo e estação de tratamento de águas do sistema IV Bita, por 10,3 milhões de dólares (8,9 milhões de euros).



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub