Banca & Finanças Sócrates "exigiu" demissão da administração da CGD em 2005: "São os nossos inimigos"

Sócrates "exigiu" demissão da administração da CGD em 2005: "São os nossos inimigos"

O ex-ministro das Finanças Campos e Cunha afirma que lhe foi pedida de "forma reiterada" e "crescente" a demissão da equipa de Vítor Martins da CGD. Não o fez. Sócrates propôs Carlos Santos Ferreira e Vara, que iriam para o banco pela mão de Teixeira dos Santos.
Sócrates "exigiu" demissão da administração da CGD em 2005: "São os nossos inimigos"
Diogo Cavaleiro 05 de Janeiro de 2017 às 19:08

Em 2005, pouco depois de chegar ao Governo, José Sócrates pediu ao ministro das Finanças, Campos e Cunha, para destituir Vítor Martins da presidência da Caixa Geral de Depósitos. Chegou a avançar com propostas como Carlos Santos Ferreira e Armando Vara. Campos e Cunha não demitiu ninguém. Acabou ele próprio a demitir-se. E o sucessor, Teixeira dos Santos, concretizou a saída de Vítor Martins da CGD e a nomeação de Santos Ferreira e Vara.

 

As informações foram transmitidas por Luís Campos e Cunha, que foi ministro das Finanças entre Março e Julho de 2005, na audição desta quinta-feira, 5 de Janeiro, na comissão parlamentar de inquérito à CGD.

 

"Não demiti a administração da CGD, contrariamente ao que já vi escrito. Nem convidei ninguém para assumir qualquer lugar ou substituir alguém", garantiu Campos e Cunha, referindo-se à equipa liderada por Vítor Martins.

 

Campos e Cunha contou aos deputados que a equipa de administração da CGD, com 11 pessoas, contava apenas com três indivíduos com "filiações partidárias", "todas elas com experiência relevante nas tarefas que estavam a desempenhar", pelo que não considerava justificada a sua saída. "Tenho o princípio de que as equipas e as pessoas devem cumprir o seu mandato e avaliados pelos resultados no fim", considerou.

 

Mas José Sócrates, o primeiro-ministro de então, não tinha a mesma opinião: "O que era exigido era a demissão da administração da CGD. [O primeiro-ministro] disse-o de forma reiterada insistente e crescente", contou aos deputados. Em 2005, o jornal Público já tinha dado conta desta questão.


"Estes são os nossos inimigos" foi uma das justificações avançadas para avançar com a demissão. "Não era assim que eu via a administração da Caixa", disse Campos e Cunha. 

 

Santos Ferreira e Vara avançados


Segundo relatou o ex-governante, José Sócrates tinha já proposto nomes como Carlos Santos Ferreira e Armando Vara para gerir a Caixa. Não os aceitou, porque não quis demitir Vítor Martins.

 

Campos e Cunha demitiu-se em diferendo com o primeiro-ministro do Governo em Julho de 2005. "Uma semana depois, toda a administração foi demitida mas não foi demitida por mim". O seu sucessor na pasta das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos, acabou por levar Santos Ferreira e Vara para o banco público.

 

Sem financiamento de favor

 

Apesar de admitir este pedido de José Sócrates, Campos e Cunha, actual administrador do Santander Totta, não admite qualquer envolvimento na gestão quotidiana do banco.

 

"Nunca me foi pedido nenhum financiamento de favor. Também não o faria. E se tivesse transmitido ao Dr. Vítor Martins, estou certo que recusaria. Não houve, nesse aspecto, quanto a créditos, nada que passasse por mim da parte do primeiro-ministro", assegurou ainda.




A sua opinião24
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas


PS - e seus votantes - ROUBA A VIDA A 500.000 TRABALHADORES

O SOCRATES GATUNO endividou o país até à bancarrota, para pagar salários e pensões da FP…

Lançando 500.000 trabalhadores no desemprego!


comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Ainda estamos a pagar o buraco que a máfia do PS criou. E vai continuar. Nos anos sócrates, toda a gente comentava que o Pais estava a saque. No PS todos calados a mamar. E esta corja do PS já está a mamar outra vez. Vejam os concursos públicos: Parque Escolar, "melhor amigo" António Costa, etc....

Anónimo Há 2 semanas


O VERDADEIRO SOCIALISTA

Um verdadeiro socialista defende a igualdade (critérios iguais) e a justiça para todos os cidadãos.

Ao contrário de muitos portugueses que se dizem socialistas (incluindo os do governo), mas que apenas defendem os interesses particulares de alguns grupos privilegiados…

Em detrimento dos restantes cidadãos (a maioria dos portugueses) que são cada vez mais sacrificados para sustentar os privilégios, as mordomias, as regalias e as benesses desses grupos (FP & CGA).

Resposta de sportingsemprea Anónimo Há 2 semanas

Será que foste beneficiado com o governo da TRETA, psd/cds? Olha eu só fui roubado

zé pagante Há 2 semanas

O povo português, imbecil, que são autênticos CALHAUS COM OLHOS é que elegem esta escumalha de politicos corruptos e os outros portugueses têm que pagar as escolhas dos CALHAUS. Há que identificar os calhaus e todos os dias lhes chamar os nomes que eles merecem se não quisermos continuar a pagar.

Anónimo Há 2 semanas


PS = O partido dos mais Ricos

O PS só defende os interesses particulares de alguns grupos:

- Os patrões mais ricos (deu-lhes as PPP's);
- Os aposentados com pensões mais altas (CGA);
- Os FP (têm os salários mais altos).

Os outros portugueses... que se lixem e paguem mais impostos para sustentar os anteriores!


Resposta de sportingsemprea Anónimo Há 2 semanas

Cheira-me a ressabiado!!!!!Tiraram-te o tacho?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub