Tecnologias Sol, vento e hidrogénio levam barco "limpo" à volta do mundo

Sol, vento e hidrogénio levam barco "limpo" à volta do mundo

O barco, cujas adaptações custaram cinco milhões de euros, está num estaleiro de Saint-Malo, em França, e iniciará a viagem na região da Bretanha, fazendo em Paris a primeira de 101 paragens, ao longo de 50 países.
DR/Energy Observer DR/Energy Observer DR/Energy Observer DR/Energy Observer DR/Energy Observer DR/Energy Observer DR/Energy Observer DR/Energy Observer DR/Energy Observer DR/Energy Observer
Negócios com Lusa 13 de janeiro de 2017 às 15:45
O primeiro barco autos-suficiente, movido a energia limpa, vai começar na primavera uma viagem ao mundo de seis anos, no âmbito de um projecto apresentado esta semana em França.

O 'Energy Observer', uma antiga embarcação de competição, foi equipado com painéis solares, geradores eólicos e reservatórios de combustível de hidrogénio. A produção de hidrogénio será feita através do processo de electrólise (indução de energia) da água do mar.

O barco, cujas adaptações custaram cinco milhões de euros, está num estaleiro de Saint-Malo, em França, e iniciará a viagem na região da Bretanha, fazendo em Paris a primeira de 101 paragens, ao longo de 50 países.

Este ano e no próximo a embarcação passará por França e pelo Mar Mediterrâneo, seguindo em 2019 para o Norte da Europa. Em 2020 chega às Américas e em 2021 à Ásia e Oceania. O percurso terminará em 2022, com a passagem por África e Médio Oriente.

Os locais de paragem serão escolhidos de forma a sensibilizar o público para a transição energética, preservação de ecossistemas ameaçados e para a protecção do património.

"Este barco vai demonstrar que existem muitas soluções para a mudança energética", disse, citado pela agência noticiosa AP, o ambientalista francês Nicolas Hulot, que assistiu à apresentação do projecto, na sede da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), na capital francesa.

O projecto foi concebido, em 2015, pelos velejadores FredericDahirel e Victorien Erussard, juntamente com o mergulhador e realizador de documentários Jerome Delafosse.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Fernando Sousa Há 3 dias

Este é o caminho do futuro.

pub
pub
pub
pub