Empresas Sonae Capital concretiza compra da Adira

Sonae Capital concretiza compra da Adira

O negócio, avaliado em pelo menos 9 milhões de euros, foi concretizado depois da Autoridade da Concorrência não ter colocado entraves.
Sonae Capital concretiza compra da Adira
Negócios 25 de julho de 2017 às 20:09

A Sonae Capital anunciou esta terça-feira, 25 de Julho, que concretizou a aquisição da totalidade do capital e direitos de voto da sociedade Adira e da sua participada Guimadira, depois de ter obtido a "declaração de não oposição por parte da Autoridade da Concorrência e cumprimento das demais condições acordadas".

 

Foi a 9 de Junho que a empresa liderada por Cláudia Azevedo (na foto) anunciou o acordo para a compra de 100% da empresa de moldagem de metal, num negócio avaliado em pelo menos 9 milhões de euros.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) na altura, a Sonae Capital refere que além do valor na compra das acções (os 9 milhões) o negócio inclui uma componente variável e diferida (não especificada) em função da performance da empresa nos próximos quatro anos. 

"Com esta aquisição, e com o desenvolvimento de cada uma das áreas de negócio já existentes, o Grupo Sonae Capital prossegue a trajectória de concretização do seu propósito estratégico e posiciona-se como um veículo privilegiado de criação de valor, com base no desenvolvimento e alavancagem das vantagens competitivas portuguesas," lê-se no comunicado.

A Adira, com mais de 60 anos de existência - foi fundada no Porto em 1956, sendo o nome derivado do do fundador, António Dias Ramos -, desenvolve, produz e vende máquinas-ferramentas, encaminhadas na maioria para exportação. No final do ano passado, de acordo com a Sonae Capital, tinha uma dívida líquida de 6,7 milhões de euros.

Actualmente, de acordo com o site da empresa, a companhia é liderada por António Cardoso Pinto, que se tornou accionista em 2008.

As acções da Sonae Capital fecharam a sessão a cair 0,46% para 0,859 euros.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub