Banca & Finanças S&P coloca "rating" do BCP em revisão para possível subida

S&P coloca "rating" do BCP em revisão para possível subida

A agência de notação financeira considera que a dívida do BCP tem características especulativas mas elogia o aumento de capital e as suas consequências. Por isso, coloca em revisão com "implicações positivas".
S&P coloca "rating" do BCP em revisão para possível subida
Diogo Cavaleiro 16 de janeiro de 2017 às 16:57

A conclusão do aumento de capital de 1,33 mil milhões de euros do Banco Comercial Português pode ter implicações positivas na classificação de risco atribuída pela Standard & Poor’s.

 

"Colocámos o Millennium BCP em CreditWatch depois de anunciado o aumento de capital de 1,33 mil milhões. Se for bem-sucedido, consideramos que poderá melhorar a capacidade creditícia do banco", assinala a nota emitida pela S&P esta segunda-feira, 16 de Janeiro.

 

Neste momento, o "rating" de longo prazo da dívida do banco presidido por Nuno Amado é de "B+", que segundo a escala oficial tem características especulativas. Ao colocar em CreditWatch com "implicações positivas", a agência norte-americana assinala que há um evento que poderá contribuir para a subida do "rating". O evento é o aumento de capital que se inicia esta terça-feira.

 

Segundo o comunicado da S&P, com uma concretização bem-sucedida da operação, ficará definido que os accionistas apoiam o plano estratégico da gestão de Nuno Amado (cujas metas a outra agência Moody’s considera "desafiantes"), e que a flexibilidade financeira do banco melhora, permitindo o pagamento de dividendos. O banco já revelou que a intenção é pagar dividendos sobre os resultados de 2018.

 

Em relação ao facto de a Fosun poder vir a subir 30%, como se propõe, não há implicações para o "rating" da dívida da instituição financeira.

 

Caso o aumento de capital não se concretize, indica a S&P, o "rating" será afirmado no nível actual, ainda que a perspectiva sobre a capacidade de o BCP melhorar a confiança dos credores e dos investidores deteriore-se.

 

Sector bancário português perde perspectiva positiva

 

Embora lance a consideração positiva sobre o BCP, a agência norte-americana considera que o sistema bancário português ainda tem desafios pela frente. Aliás, o risco da indústria passa para estável em vez de positivo, devido à dificuldade de uma melhoria da rentabilidade e eficiência.

 

Até porque, alerta a S&P, tudo ainda está em mudança: o BCP ainda não iniciou o aumento de capital; o BPI aguarda o registo da compra do CaixaBank junto do regulador; a nova gestão da CGD liderada por Paulo Macedo ainda não está em funções; o Novo Banco continua sem ser vendido.

 

Haitong desce

 

Uma outra instituição de que a S&P fala na nota desta segunda-feira é o Haitong Bank, o antigo BESI. A perspectiva sobre o banco que em Dezembro deixou de ter José Maria Ricciardi como presidente executivo deixou de ser "positiva" e é, agora, "estável". Uma decisão que tem que ver com o momento da indústria mas não só.

 

"Consideramos que o progresso do Haitong Bank na reformulação do seu modelo de negócios e o regresso à rentabilidade podem demorar mais tempo do que o previsto para se materializar", assinala a nota. A entidade tem um "rating" de "BBB", o último nível em que o investimento é aconselhado sem reservas.


(Notícia actualizada às 17:25 com mais informações)

A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 16.01.2017

Em junho o amado vai fazer reagrupamento de 10 ações para que esta deixe de ser uma pena e ultrapasse o valor de um euro! Depois volta a fazer um aumento de capital não para pagar cocos mas para pagar peras e uvas. Eu até já ficava satisfeito se ganhasse uma décima parte do vencimento dele.

comentários mais recentes
Anónimo 16.01.2017

Axo mto bem

Façam como os espoliados do BES..Seus Bananas 16.01.2017

ahahaha. eles é que vos gozam
Agora OBRIGAM os pequenos accionistas a endividarem-se MAIS ainda,pois quem não for ao A.C. ou não vender os direitos que vai receber,PERDE QUASE TUDO. Claro que os direitos vão ser vendidos ao preço da chuva,portanto a PERDA de mais dinheiro é mais que CERTA
Bananas

Criador de Touros 16.01.2017

Esta notícia de facto é horrível... !!; )

Anónimo 16.01.2017

Moçambique vai entrar em default e estes espertos da agencia de rating devem achar positivo p BCP, q é so um dos principais bancos do pais. certo....

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub