Banca & Finanças S&P tira BPI e Santander Totta de "lixo"

S&P tira BPI e Santander Totta de "lixo"

A medida segue-se à melhoria da notação atribuída à República, que na sexta-feira levou a S&P a retirar Portugal da categoria de investimento especulativo.
S&P tira BPI e Santander Totta de "lixo"
Ricardo Castelo/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 19 de setembro de 2017 às 12:47

Depois de ter elevado o rating da dívida portuguesa à condição de investimento, na sexta-feira passada, a Standard & Poor’s repete o mesmo procedimento para dois bancos portugueses: BPI e Santander Totta.

De acordo com alteração publicada esta terça-feira, 19 de Setembro, no site da agência de notação financeira, tanto o BPI como o Santander Totta viram o rating subir de "BB+" (último nível de investimento especulativo) para BBB- (primeiro patamar de 'investment grade'), com outlook "estável".

Em causa estão as classificações atribuídas a títulos de dívida de longo prazo e denominados em moeda local e estrangeira. No caso dos títulos de curto prazo, ambos os bancos vêem a notação subir de B para A-3, saindo também de "lixo".


"As melhorias seguem a acção semelhante sobre o rating soberano de Portugal a 15 de Setembro. Isto permitiu-nos incorporar um maior grau de apoio do que anteriormente tinhamos," refere o comunicado da agência de rating.

Com esta melhoria da S&P, entre as principais agências de notação financeira apenas a Moody's continua a considerar as dívidas de ambos os bancos na categoria de investimento especulativo. 


No caso do Santander Totta, a subida é justificada também pelo facto de ser uma "subsidiária estratégica" do Banco Santander, cuja venda é improvável e que conta com um apoio financeiro de longo prazo por parte da casa-mãe. Se não fosse a classificação de Portugal influenciar a notação do banco, diz a agência, o Santander Totta seria elegível para grau "BBB+" (terceiro nível mais baixo de investimento).

"O rating do Banco Santander Totta mantém-se há muitos anos como o melhor do sistema financeiro. As atuais notações de rating da dívida de longo prazo do Banco Santander Totta em comparação com os níveis da República Portuguesa são as seguintes: Fitch: BBB (Portugal: BB+); Moody’s: Ba1 (Portugal: Ba1); S&P: BBB– (Portugal: BBB–); e DBRS: BBBH (Portugal – BBBL)," sustenta o banco em comunicado entretanto divulgado.

A suportar a subida do BPI está, como o Totta, também a relação estreita com a casa-mãe, no caso o CaixaBank, de que é uma "subsidiária estratégica" e "activo importante" para a sua estratégia de longo prazo. A S&P refere que é a rentabilidade doméstica do banco, actualmente um "desafio", que impede a agência de registar o banco como subsidiária "core" do CaixaBank.

A melhoria do entorno económico ou operacional em Portugal pode levar a novas subidas de rating do BPI, tal como uma melhoria na geração de capital. Mas estará sempre dependente de subidas do rating soberano, já que a S&P considera que o apoio do CaixaBank é insuficiente para apoiar o banco em situação de stress associada a um eventual default soberano.

Para o Totta, a perspectiva "estável" semelhante à do rating da República pode, avisa a agência, levar a acompanhar uma subida ou uma descida do outlook de Portugal nos próximos 12 a 24 meses. No que diz respeito ao BPI, a S&P justifica que a mesma perspectiva "reflecte a nossa visão de que há uma baixa probabilidade de que a posição de crédito individual ou o apoio da casa-mãe se alterarem ao longo dos próximos 24 meses, bem como o rating soberano."

O movimento anunciado esta terça-feira levou ainda agência de notação a melhorar num patamar a dívida sénior do BPI (passou a categoria de investimento com "BBB-" e de dois patamares no caso da dívida subordinada (aqui ainda em categoria de investimento especulativo, ou "BB").

(notícia actualizada às 13:19 com mais informação)




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado RE: Mr.Tuga Há 3 dias

Olha Amigo: respondo-te com a sinceridade que o anonimato e a distância do meu País longínquo, possibilitam e incentivam. Atualmente o meu principal "caixote do lixo" têm sido alguns dos pequenos bancos regionais franceses, com ratios que já foram e em alguns casos ainda são, os melhores do mundo, e em que consegui consolidar a minha total independência financeira ao abrigo de desvarios de Governantes (mesmo que bem intencionados) e de incompetências de gestoras de ativos (que servem melhor os interesses de quem as administra do que propriamente de quem lhes confia as poupanças). No entanto tenho por objetivo pagar a César o que é de César (ou seja, ao Fisco Português as mais valias devidas) e fazer regressar o meu património à Caixa Geral de Depósitos (onde comecei como micro investidor) numa homenagem simbólica àquela Instituição e a alguns dos seus Trabalhadores que no início da minha trajetória de investidor me apoiaram transmitindo-me um precioso "saber de experiência feito"

comentários mais recentes
RE: Mr.Tuga Há 3 dias

Olha Amigo: respondo-te com a sinceridade que o anonimato e a distância do meu País longínquo, possibilitam e incentivam. Atualmente o meu principal "caixote do lixo" têm sido alguns dos pequenos bancos regionais franceses, com ratios que já foram e em alguns casos ainda são, os melhores do mundo, e em que consegui consolidar a minha total independência financeira ao abrigo de desvarios de Governantes (mesmo que bem intencionados) e de incompetências de gestoras de ativos (que servem melhor os interesses de quem as administra do que propriamente de quem lhes confia as poupanças). No entanto tenho por objetivo pagar a César o que é de César (ou seja, ao Fisco Português as mais valias devidas) e fazer regressar o meu património à Caixa Geral de Depósitos (onde comecei como micro investidor) numa homenagem simbólica àquela Instituição e a alguns dos seus Trabalhadores que no início da minha trajetória de investidor me apoiaram transmitindo-me um precioso "saber de experiência feito"

Mr.Tuga Há 3 dias

Para o RE: Oposição: onde é o seu caixote de lixo ?!?!?

BPI (Caixabank) e Totta (Santander) são só os dois MAIORES bancos de Espanha....

Queres ver que a "CGDepósito de BOYS e GIRLS" é que é boa....

RE: Oposição Há 3 dias

Amigo: parafraseando o que diz o Povo Português na sua sabedoria - " de Espanha nem bons ventos nem bons casamentos" - eu acrescentaria que...nem bons bancos !

Anónimo Há 3 dias

cuidado bcptos...

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub