Start-ups Start-up chinesa de reconhecimento facial levanta 94 milhões de euros

Start-up chinesa de reconhecimento facial levanta 94 milhões de euros

A Megvii, uma start-up chinesa que desenvolveu uma tecnologia de reconhecimento facial, levantou quase 94 milhões de euros junto de vários investidores internacionais. E pode não ficar por aqui.
Start-up chinesa de reconhecimento facial levanta 94 milhões de euros
Ana Laranjeiro 06 de dezembro de 2016 às 10:53

A Megvii é uma start-up chinesa que desenvolveu uma tecnologia de reconhecimento facial. Os sistemas de scan facial desenvolvidos por esta empresa são usados pela Ant Financial, empresa que fornece serviços de pagamentos online que opera nomeadamente com o gigante Alibaba.

A start-up e a Ant Financial estão actualmente a trabalhar em conjunto com o objectivo de desenvolver um sistema que permita aos utilizadores criarem uma conta bancária através de scans faciais, desde que receba autorização regulatória para o efeito.

A start-up chinesa levantou uma ronda de 100 milhões de dólares – perto de 94 milhões de euros no câmbio actual – junto de um leque de investidores internacionais, incluindo a Foxconn Technology Group e CCB International Holdings, de acordo com fontes da Bloomberg. Mas a empresa pode não ficar por aqui. É que, de acordo com a mesma fonte, a negociação com investidores continua e a companhia poderá mesmo levantar mais dinheiro. À agência de informação, a Megvii confirmou que levantou uma ronda de financiamento mas não confirmou o montante.

Com este investimento, a empresa pretende, com o auxílio dos investidores, continuar a desenvolver a sua tecnologia de reconhecimento facial, especialmente para as áreas da indústria financeira, cidades inteligentes e robótica.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub