Tecnologias Start-ups, casas restauradas e sardinhas: Lisboa é a cidade a seguir em 2017

Start-ups, casas restauradas e sardinhas: Lisboa é a cidade a seguir em 2017

Revista britânica Spaces elege Lisboa como a "cidade start-up" e considera que é uma das sete cidades mundiais a ter em conta este ano.
Start-ups, casas restauradas e sardinhas: Lisboa é a cidade a seguir em 2017
André Cabrita-Mendes 02 de janeiro de 2017 às 12:39
A capital portuguesa foi escolhida como uma das cidades a serem seguidas em 2017. A escolha é da revista online de arquitectura e urbanismo Spaces.

"Lisboa: a cidade start-up", é a designação dada pela publicação britânica à cidade portuguesa no artigo publicado esta segunda-feira, 2 de Janeiro.

E a Spaces explica o porquê desta escolha. "Algo aconteceu na capital portuguesa nos últimos 18 meses, dando origem a algo muito próximo de um culto para tudo o que se refere a Lisboa".

Em destaque, surgem as "casas baratas" e a zona dedicada às start-ups, o Poço do Bispo, onde nasceram espaços como o Lisbon WorkHub e o Todos. Razões estas que contribuíram para que Lisboa se tenha tornado rapidamente "num dos lugares mais em moda no mundo".

O melhor da cidade? "Os espaços de trabalho partilhado (coworking) em conta, as casas restauradas, comida de rua em geral e as sardinhas assadas em particular".

A publicação destaca também o novo "ícone" da cidade à beira Tejo: o Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia (MAAT) da Fundação EDP, desenhado pela arquitecta britânica Amanda Levete.

No artigo são destacadas sete cidades no total localizadas na Europa, África e América do Sul e do Norte. Além de Lisboa, a Spaces também destaca as cidades do Montreal (Canadá), Austin (Estados Unidos), Accra (Gana), Lima (Peru), Cidade do Cabo (África do Sul) e Wroclaw (Polónia).

A revista Spaces explica qual o factor-chave que esteve na base da escolha destas sete cidades. "Quando se trata de comprar imóveis, identificar cedo os mercados em crescimento é o melhor caminho para fazer um bom negócio. O truque é saber onde procurar e, crucialmente, quando actuar".

A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 02.01.2017

COFINA:PENALIZADA POR AUTORIZAÇÃO AUMENTO CAPITAL ATÉ 51,3 M€ QUE EXPIROU:
AssembleiaGeral autorizou Conselho Administração aumentar capital até 51,3 M€,que expirou 31/12/2016,sem ser exercida,pág 18em http://www.cofina.pt/~/media/Files/C/Cofina/press/releases/2016press/cofina-rel-contas-dez-15.pdf

Emília Fernandes 02.01.2017

Assim espero boa sorte Lisboa...!

pub