Energia Statoil compra 25% do terceiro maior campo petrolífero do Brasil

Statoil compra 25% do terceiro maior campo petrolífero do Brasil

A norueguesa Statoil vai comprar 25% do campo petrolífero de Roncador, no Brasil, por um valor que pode chegar 2,9 mil milhões de dólares, e espera triplicar a produção de petróleo no país.
Statoil compra 25% do terceiro maior campo petrolífero do Brasil
Reuters
Bruno Simões 18 de dezembro de 2017 às 12:11

A norueguesa Statoil vai comprar 25% do terceiro maior campo petrolífero do Brasil, por um montante que pode atingir os 2,9 mil milhões de dólares (2,45 mil milhões de euros, à cotação actual) e espera, com isso, triplicar sua a produção de barris em território brasileiro. "Esta transacção acrescenta uma relevante atractiva produção de longo prazo ao nosso portefólio internacional, e reforça a posição do Brasil como central para a Statoil", referiu Eldar Saetre, CEO da empresa à Bloomberg.

A transacção será feita em dois momentos, de acordo com a Bloomberg: inicialmente a Statoil pagará 2,35 mil milhões de dólares à Petrobras, e fará depois chegar até 550 milhões de dólares em pagamentos adicionais à empresa petrolífera. O campo de Roncador produz 240 mil barris de petróleo por dia e 40 mil barris de gás. A produção da Statoil deverá passar para 110 mil barris por dia no Brasil com este negócio. A Statoil e a Petrobras esperam conseguir expandir esta produção em pelo menos 5%.

A Statoil, que é detida pelo governo norueguês em 66,67%, aproveita para reforçar a sua posição no Brasil numa altura em que a Petrobras está a desinvestir e a livrar-se de activos para reduzir a sua dívida, uma das maiores do sector petrolífero. A aposta da Statoil no Brasil é justificada pela queda da produção na Noruega, que é actualmente metade da que se registava em 2000.

O CEO da Petrobras, Pedro Parente, diz que as "parcerias estratégicas são uma componente importante" do plano de negócios da petrolífera, e sublinha que o "conhecimento e experiência da Statoil em aumentar os níveis de extracção de petróleo em campos amadurecidos" vai "acrescentar valor não só às nossas operações conjuntas em Roncador" como a "outros campos amadurecidos" na bacia de Campos.

A bacia de Campos, ao largo do Rio de Janeiro e onde se localiza o campo petrolífero de Roncador, é uma das principais jazidas de petróleo do Brasil. Ainda assim, o maior campo petrolífero é, actualmente, o de Lula, localizado na Bacia de Santos (e onde está o pré-sal), com uma produção de mais de 700 mil barris diários. A Galp, através da Petrogal Brasil, detém 10% do consórcio que explora este campo.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub