Energia Subida do petróleo sustenta aumento dos lucros da Total de 29%

Subida do petróleo sustenta aumento dos lucros da Total de 29%

A petrolífera francesa viu os seus lucros aumentarem para 2,67 mil milhões de dólares no terceiro trimestre, um período em que a unidade de exploração e produção teve o melhor resultados em mais de dois anos.
Subida do petróleo sustenta aumento dos lucros da Total de 29%
Reuters
Rita Faria 27 de outubro de 2017 às 07:44

A francesa Total fechou o terceiro trimestre deste ano com lucros de 2,67 mil milhões de dólares (cerca de 2,27 mil milhões de euros), um aumento de 29% face ao mesmo período do ano passado.

A melhoria dos resultados, que ficaram em linha com as estimativas dos analistas consultados pela Reuters, foi justificada pelo aumento da produção e das margens de refinaria, e pela redução dos custos, que excedeu os objectivos.

A produção de petróleo da Total subiu 6% entre Julho e Setembro, enquanto o resultado operacional ajustado da unidade de exploração e produção disparou 84% em relação ao período homólogo para 1,22 mil milhões de euros – o nível mais alto desde o segundo trimestre de 2015 - impulsionado pelo aumento de 14% dos preços do Brent.

"O grupo tirou partido do ambiente favorável graças ao desempenho do seu modelo integrado e à sua estratégia para reduzir o seu breakeven", afirmou o presidente executivo da empresa, Patrick Pouyanne, num comunicado citado pela Reuters.

A dívida líquida da Total caiu de 30,5 mil milhões de dólares para 19,92 mil milhões (16,9 mil milhões de euros), devido à venda da Atotech em Janeiro.

A gigante do sector energético e petroquímico revelou também que a sua meta de redução de custos para o conjunto do ano será superior a 3,6 mil milhões de dólares, quando o objectivo fixado inicialmente era de 3,5 mil milhões.

Já a produção deverá subir 5%, impulsionada pelas melhorias em países como o Congo, Cazaquistão e Reino Unido.  




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar