Aviação Subsidiárias de accionista chinês da TAP com perdas em bolsa e negociações suspensas

Subsidiárias de accionista chinês da TAP com perdas em bolsa e negociações suspensas

Seis subsidiárias do grupo HNA suspenderam as negociações em diferentes praças financeiras da China.
Subsidiárias de accionista chinês da TAP com perdas em bolsa e negociações suspensas
Reuters
Lusa 23 de janeiro de 2018 às 07:56

As acções de várias subsidiárias do grupo chinês HNA, accionista da TAP através do consórcio Atlantic Gateway e da companhia brasileira Azul, sofreram na segunda-feira fortes perdas, enquanto seis firmas suspenderam as negociações em bolsa.

 

No conjunto, quinze subsidiárias do HNA perderam um total de 6,3 mil milhões de yuan (800 milhões de euros) em bolsa, segundo estimativas do portal chinês de informação económica Yicai.com.

 

O valor de mercado somado daquelas firmas ascende a 224 mil milhões de yuan (28.537 milhões de euros), detalhou a mesma fonte.

 

O jornal de Hong Kong South China Morning Post avança que, no mesmo dia, seis subsidiárias do grupo HNA suspenderam as negociações em diferentes praças financeiras da China.

 

Em comunicados separados, as empresas informaram que a empresa matriz, o grupo HNA, está a preparar "acções importantes", que podem consistir numa reestruturação dos activos das respetivas empresas.

 

O HNA, que nos últimos anos investiu um total de 33 mil milhões de euros além-fronteiras, é um dos principais visados das advertências das autoridades chinesas para investimentos "irracionais" no estrangeiro, que podem acarretar riscos para o sistema financeiro chinês.

 

Em Novembro passado, a agência de 'rating' Standard & Poor's avisou o grupo de que "estruturas agressivas de financiamento" estão a danificar a sua solidez financeira. A agência colocou a dívida do HNA em nível "lixo".

 

Segundo a S&P, o grupo somava na altura uma dívida de longo prazo de cerca de 49 mil milhões de euros - equivalente a uma dívida líquida de 6,5 vezes o lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações.

 

A empresa detém indirectamente cerca de 20% do capital da TAP, através de uma participação de 13% na Azul (companhia do brasileiro David Neelman que integra a Atlantic Gateway) e uma participação de 7% na Atlantic Gateway, e tem ainda importantes participações em firmas como Hilton Hotels, Swissport ou Deutsche Bank.

 

Uma das suas subsidiárias, a Capital Airlines, inaugurou este ano o primeiro voo direto entre a China e Portugal.

 

O grupo tem também estado na mira de reguladores estrangeiros, face à dificuldade em entender quem são os seus accionistas, ocultados por detrás de múltiplas empresas fictícias, subsidiárias e afiliados.

 

Na semana passada, as autoridades norte-americanas afirmaram que não vão aprovar mais investimentos do HNA, até que o grupo forneça informação precisa sobre os seus accionistas.

 

Em Dezembro passado, os reguladores da Nova Zelândia encarregues do investimento externo bloquearam a aquisição de uma sociedade financeira pelo HNA, apontando que a informação fornecida sobre a estrutura accionista do grupo "era insuficiente".

 

Em Julho passado, os reguladores suíços disseram também que o grupo forneceu informação "incompleta ou falsa" sobre a sua estrutura accionista, aquando da aquisição da Gategroup, líder no catering para o sector da aviação.

 

A HNA foi fundada em 1993 e tem sede em Haikou, capital da província de Hainan.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
a aldeia de TRUMP é relegada para 2 º lugar Há 13 horas


1 - a FOSUN já comprou a posição da sonangol no BCP 2 - a FOSUN terá de lançar OBRIGATORIAMENTE uma opa ao MILENUM BCP a 1 EURO por AÇÃO 3 - a CHINA torna - se na 1ª POTÊNCIA MUNDIAL através do MILENIUM BCP

pub