Banca & Finanças Sucesso da compra de dívida ditará venda do Novo Banco até 20 de Outubro

Sucesso da compra de dívida ditará venda do Novo Banco até 20 de Outubro

Se a oferta de aquisição de dívida do Novo Banco for bem-sucedida, a instituição tem de ser vendida até 20 de Outubro. Compra de obrigações só será concluída depois de Bruxelas e o BCE aprovarem a compra do banco pela Lone Star.
Sucesso da compra de dívida ditará venda do Novo Banco até 20 de Outubro
Maria João Gago 25 de julho de 2017 às 17:34

O Novo Banco será vendido até 20 de Outubro caso a oferta de aquisição de dívida iniciada esta terça-feira, 25 de Julho, for bem-sucedida. Esta data limite para a concretização do acordo entre o Fundo de Resolução e a Lone Star resulta das condições da operação definidas no anúncio da operação. E implicará uma antecipação do calendário previsto no contrato de venda que define 4 de Novembro como data limite para a concretização do negócio.

 

Para que a oferta de compra de obrigações seja concluída, é necessário que o Fundo de Resolução e a Lone Star tenham "confirmado incondicionalmente ao Novo Banco que todas as condições precedentes ao contrato" de compra e venda tenham sido satisfeitas. Ou seja, a conclusão da aquisição das obrigações exige que o Banco Central Europeu e a Direcção-Geral da Concorrência da Comissão Europeia já tenham  concedido todas as autorizações indispensáveis à alienação da instituição liderada por António Ramalho.

 

Mas as condições para a conclusão da compra de dívida pressupõem ainda que "a venda das acções do Novo Banco será concluída no prazo de 10 dias úteis após a data de liquidação" da oferta, prevista para 4 de Outubro. Tendo em conta o calendário português, este prazo exige que a concretização da alienação do banco ocorra até 20 de Outubro.

 

Além disso, para que a aquisição de dívida tenha sucesso e possa ser concluída, o Novo Banco tem de conseguir comprar pelo menos 75% das emissões de obrigações emitidas, percentagem calculada sobre o valor nominal. Em termos nominais, as linhas de dívida têm um valor de quase 8.300 milhões de euros. A oferta só se conclui se o Novo Banco conseguir comprar 6.276 milhões.



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
surpreso Há 3 semanas

Haverá nova Resolução.Não vão liquidar um banco que vale 12 ou 13 porcento do mercado

O cabeçalho diz tudo. Sucesso na Há 3 semanas

compra da divida. Mas, à sempre um mas" Os que arriscaram comprar títulos ao BES a 0% e com prazos infinitos, não podem agora queixar-se alegar má informação ou mesmo dolo por parte do BES. Apostaram no cavalo errado e perderam. Pode-se perguntar, é o porquê de tamanha estupidez ou ingenuidade

Anónimo Há 3 semanas

Sou economista, sinto cepticismo porque não consigo formar uma opinião bem fundamentada sobre o NB, pois parece que há muita informação retida e não do domínio publico. Sinto preocupação pela leveza das opiniões dos comentadores como se o caso NB já estivesse fechado. Peço cuidado e moderação.

pub
pub
pub
pub