Empresas Super Bowl deste ano voltou a bater recordes de publicidade

Super Bowl deste ano voltou a bater recordes de publicidade

O valor total investido em anúncios atingiu os 385 milhões de dólares, batendo o total de valor investido em mais de vinte anos ao longo da década de 60, 70 e 80.
Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters
Negócios 06 de fevereiro de 2017 às 10:31
O Super Bowl voltou a bater recordes na publicidade. Tanto o custo médio por anúncio, como o total investido cresceram face aos valores máximos anteriores na 51ª edição da final da National Football League (NFL).

O custo médio para um anúncio de 30 segundos atingiu os cinco milhões de dólares (4,6 milhões de euros), face aos 4,8 milhões em 2015), o valor mais elevado de sempre. O preço por segundo atingiu os 166,6 mil dólares, um novo recorde, um valor 125 acima do que o custo na primeira Super Bowl.

Já o total investido em anúncios no jogo entre os Atlanta Falcons e os New England Patriots atingiu os 385 milhões de dólares (358 milhões de euros), 377 milhões em 2015, também um novo máximo, segundo a revista Ad Age.

O valor deste ano supera o total de 299 milhões dé dólares investido em mais de 20 anos, desde a primeira edição em 1967, passando pela década de 70 e terminando no final da década de 80.

Nos primeiros 51 anos de Super Bowl foram investidos 6,3 mil milhões de dólares em publicidade. Desde 1967 que os valores na publicidade registaram sempre subidas de ano para ano, à excepção de cinco anos: 1971, 1996, 2003, 2007 e 2010.

O intervalo do evento contou com anúncios televisivos da Airbnb, Coca Cola e Budweiser ou a T-Mobile. Alguma da publicidade abordou o o tema da diversidade e da imigração, precisamente num momento em que Donald Trump aprovou medidas para impedir a entrada nos Estados Unidos de cidadãos de sete países.

O anúncio da Airbnb continha grupos de diferentes raças a enviar uma mensagem de aceitação da diferença. 



Já a marca de cerveja Budweiser conta a história do imigrante alemão Adolphus Busch, um dos fundadores da marca. 



Destaque para o anúncio da 84 Lumber, empresa de materiais de construção, que conta a viagem de uma mãe e sua filha, a partir de um país da América do Sul ou Central rumo aos Estados Unidos à procura de uma vida melhor.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub