Automóvel T-Roc já está a ser exportado para a Alemanha

T-Roc já está a ser exportado para a Alemanha

Os primeiros T-Roc embarcaram para a Alemanha esta semana. O país da Volkswagen vai ser o primeiro mercado mundial a vender o novo modelo da Autoeuropa. O SUV chega aos stands alemães em Novembro.
T-Roc já está a ser exportado para a Alemanha
André Cabrita-Mendes 19 de outubro de 2017 às 22:00

Os primeiros T-Roc fabricados na Autoeuropa já foram enviados para exportação. Esta semana seguiram 1.800  unidades  para a Alemanha, que vai ser o primeiro mercado mundial a vender o novo modelo da Volkswagen, avançou ao Negócios fonte oficial da fábrica de Palmela.

Os SUV "made in Portugal" vão começar a ser vendidos nos stands alemães a partir de Novembro. Em Portugal começam a ser vendidos depois, mas ainda antes do final do ano.

Os 1.800 T-Roc partiram do porto de Setúbal na segunda-feira, 16 de Outubro, a bordo do navio Rockies Highway e devem chegar ao porto de Emden, no norte da Alemanha, esta sexta-feira. 

Desde que a Autoeuropa começou a produzir há mais de vinte anos já foram exportados dois milhões de veículos produzidos nesta fábrica a partir do porto de Setúbal.

Depois de meses de testes, a fábrica da Volkswagen já está a produzir o novo modelo a todo o vapor. Estas são as primeiras unidades a serem fabricadas depois do processo de produção estar todo afinado.

A fábrica portuguesa da Volkswagen espera produzir 240 mil automóveis em 2018. Um número que vai bater o anterior máximo de produção, num total de 139 mil unidades, datado de 1998.

A maioria dos T-Roc produzidos em Palmela destinam-se à exportação, tal como tem sucedido até agora. Em 2016, 99% da produção seguiu para mercados estrangeiros, com a fábrica a pesar 3% nas exportações nacionais.

O volume de vendas da Autoeuropa atingiu os 1.500 milhões de euros em 2016 e deverá disparar em 2018 quando o T-Roc estiver a sair da linha da produção em plena força. Para fabricar o novo modelo a empresa está a contratar 2.000 novos trabalhadores, esperando ter 5.500 trabalhadores no total a partir do início do próximo ano.

A fábrica tem vivido um intenso conflito laboral nos últimos meses devido à introdução do trabalho ao sábado e a remuneração proposta para isso. Em Julho, os trabalhadores chumbaram em referendo o pré-acordo alcançado com a administração. Em resultado, a comissão de trabalhadores demitiu-se em Agosto, tendo já uma nova comissão sido eleita no início de Outubro. As negociações com vista a um acordo laboral para o trabalho ao sábado arrancam em breve.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Toucinho do céu Há 2 horas

Votos de sucesso para a Autoeuropa e empresas parceiras em Portugal! Que contribuam para uma melhor Economia deste nosso depauperado País! Muito precisamos de empregos e dinheiro a circular!

Saber mais e Alertas
pub