Aviação TAP alvo de buscas da Judiciária

TAP alvo de buscas da Judiciária

Em causa estão denúncias sobre alegadas irregularidades na distribuição de escalas de voo entre tripulantes e pilotos. A companhia diz que colaborará com a investigação e abriu um procedimento interno de averiguações.
TAP alvo de buscas da Judiciária
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 16 de novembro de 2017 às 19:08
A companhia aérea portuguesa de bandeira foi esta terça-feira, 14 de Novembro, alvo de buscas da Polícia Judiciária, diligências precipitadas por denúncias anónimas relacionadas com alegadas irregularidades na distribuição de escalas de voo e que configuram suspeitas de corrupção.

A notícia foi avançada esta quinta-feira, 16 de Novembro, pelo Correio da Manhã, a quem a TAP confirmou a realização das diligências. A publicação refere que as buscas, levadas a cabo pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção, permitiram apreender material informático e documentos internos.

A operação foi levada a cabo para identificar eventuais irregularidades na distribuição de escalas entre tripulantes de cabine e pilotos. Alegadamente, as horas extraordinárias, pagas a valores muito elevados, eram distribuídas sempre às mesmas pessoas mediante entrega de "luvas".

A publicação acrescenta que as autoridades policiais levaram consigo uma lista com dezenas de nomes e que vários directores da companhia foram ouvidos no local. Além destas suspeitas, investigam-se ainda suspeitas de tráfico de divisas, contrabando de álcool e tabaco, além de aumentos de horas extra em prejuízo da TAP.

Em declarações ao Negócios, a companhia manifestou intenção de continuar a colaborar "inteiramente, no sentido de fornecer os elementos pretendidos" pela investigação e disse ainda ter accionado os "mecanismos internos de averiguação no sentido de esclarecimento dos factos".

O Negócios contactou a Procuradoria-Geral da República, no sentido de perceber o âmbito das diligências, mas ainda não obteve resposta.

(notícia actualizada às 19:19 com mais informação)



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar