Aviação TAP deixa de vender bilhetes na Venezuela

TAP deixa de vender bilhetes na Venezuela

Como não consegue transferir o dinheiro que factura na Venezuela, a TAP decidiu cancelar a venda de bilhetes neste país da América Latina onde existe uma forte comunidade portuguesa.  
TAP deixa de vender bilhetes na Venezuela
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios com Bloomberg 29 de maio de 2017 às 15:18

A companhia aérea portuguesa TAP já cancelou a venda de bilhetes na Venezuela, embora continue a operar no país e mantenha a frequência de voos para este país da América Latina, que vive uma forte crise económica e social.

 

Numa conferência em Lisboa, citado pela Bloomberg, Fernando Pinto revelou que a TAP já só vende bilhetes para a Venezuela fora deste país. "É o caos, como toda a gente sabe", justificou Fernando Pinto, CEO da companhia aérea, que mantém três voos por semana para a Venezuela.

 

O gestor assinalou que o problema está na dificuldade em receber as receitas oriundas deste país. Um facto que já provocou um rombo nas contas da companhia área, que em 2015 teve que efectuar uma provisão para reflectir o facto de não ter conseguido transferir receitas de 91,4 milhões de euros obtidas no país.

 

Ao contrário de outras companhias aéreas, que abandonaram o mercado venezuelano, a TAP continua a operar no país onde vive uma forte comunidade portuguesa. Isto porque, como disse Fernando Pinto, o tráfego para a Venezuela continua forte.

 

Em situação diferente continua o mercado brasileiro, para onde a TAP voa 73 vezes por semana. Fernando Pinto assinalou que as leis laborais e as elevadas taxas de juro são os maiores problemas do mercado brasileiro, que apresenta um forte potencial de crescimento para as companhias aéreas "low cost".

 

 

 

   


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
GabrielOrfaoGoncalves Há 4 semanas

É uma conspiração dos neo-liberais , só pode. É sempre assim: quando as pessoas já quase morrem de tanta felicidade com o socialismo é quando acontecem estes imprevistos.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub