Aviação TAP: “Portugal necessita de mais promoção”

TAP: “Portugal necessita de mais promoção”

Os EUA são um “mercado enorme”, o que torna qualquer acção promocional cara para Portugal. Todavia, o país está a afirmar-se, explica ao Negócios Carlos Paneiro, delegado comercial da TAP para os Estados Unidos.
TAP: “Portugal necessita de mais promoção”
Wilson Ledo 17 de Novembro de 2016 às 19:19

Como estão os EUA a reagir à oferta da TAP?

Muito bem. Pela abertura das novas rotas e pelo programa Portugal Stopover, que estamos a divulgar de uma forma muito forte com "outdoors" nos aeroportos e a nível digital. Numa só mensagem, dois objectivos: promover Portugal e dizer que a TAP também é uma opção para a Europa, onde tem uma rede de 40 destinos.

 

Que rotas mais pesam?

Nova Iorque acaba por ter maior procura, daí que estejamos a voar em dois aeroportos. Tanto o JFK como Boston são muito importantes pela conectividade à Jetblue, com quem temos um acordo de parceria que permite à TAP servir mais 34 cidades. Miami acaba por ser mais destino que origem, com mais passageiros a voar a partir da Europa. Em Boston e Nova Iorque é ao contrário, com cerca de 60% do fluxo gerado nestas cidades.

 

Portugal é reconhecido?

Necessita de mais promoção, mais divulgação. Os EUA são um mercado enorme, em que qualquer plano de promoção custa muito dinheiro. Temos estado a fazer um trabalho conjunto com diferentes entidades no terreno. Já executámos seminários com o Turismo de Portugal junto de operadores turísticos. Neste momento, por exemplo, está a decorrer uma acção com o Turismo do Alentejo.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub