Aviação TAP vai discutir incidentes com drones com companhias aéreas europeias

TAP vai discutir incidentes com drones com companhias aéreas europeias

A TAP promete fazer uma “campanha forte” para acabar com a utilização “irresponsável” de drones junto a aeroportos, disse esta manhã Fernando Pinto, em Lisboa. O presidente da TAP vai levar o tema à reunião de amanhã das companhias aéreas europeias.
TAP vai discutir incidentes com drones com companhias aéreas europeias
Miguel Baltazar
Bruno Simões Lusa 26 de junho de 2017 às 14:11

Este domingo, um avião da TAP voltou a cruzar-se com um drone na aproximação ao aeroporto de Lisboa. Foi o sexto incidente deste género registado este mês. E a TAP não quer se volte a repetir. "Estamos obviamente preocupados, isso infelizmente é uma utilização irresponsável do drone", afirmou esta manhã Fernando Pinto. E embora admita que eventuais mudanças possam "prejudicar toda uma actividade de drones responsável" que existe, a "TAP fará uma campanha forte" para que deixem de acontecer incidentes como o deste domingo.

 

De acordo com a Lusa, um avião da TAP Express cruzou-se este domingo, ao início da noite, com um drone (aparelho aéreo sem tripulante) a 900 metros de altitude, quando a aeronave – um ATR-72 com 70 passageiroa a bordo – sobrevoava a zona de Almada, na aproximação à pista. O piloto comunicou à torre de controlo que o aparelho media "pelo menos um metro".

 

Sem precisar o que defende – se mudanças na lei, se maior fiscalização –, Fernando Pinto disse que a TAP vai "conversar com as autoridades" portuguesas, mas também quer agir "a nível europeu". "Tenho uma reunião amanhã na A4E (Airlines For Europe)", a associação europeia que representa as companhias aéreas europeias, "e vou levar esse problema para lá. Não queremos prejudicar essa actividade mas não queremos que prejudique o transporte aéreo", resumiu, à margem do voo de apresentação ao avião com pintura "retro" chamado "Portugal".


Criada em Janeiro de 2016 e com base em Bruxelas, a associação Airlines for Europe companhias como a Air France KLM, easyJet, Finnair, Icelandair, Lufthansa, Norwegian, Ryanair ou TAP.

Fernando Pinto recordou que a lei proíbe o voo de drones em determinadas altitudes e em áreas próximas da operação de aeroportos e aviões, e que já tem informações que as autoridades nacionais e europeias "estão preocupadas e irão agir em relação a isso ['drones']".

Este é o sexto incidente do género este mês e o décimo desde o início do ano. O regulamento da Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) proíbe o voo de 'drones' a mais de 120 metros de altura e nas áreas de aproximação e descolagem de um aeroporto.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub