Energia Tarifa social de electricidade custa cerca de 70 milhões de euros por ano às empresas

Tarifa social de electricidade custa cerca de 70 milhões de euros por ano às empresas

A tarifa social de electricidade, que beneficia cerca de 690.000 de aglomerados familiares, custa às empresas produtoras de energia eléctrica e, principalmente à EDP, cerca de 70,4 milhões de euros.
Tarifa social de electricidade custa cerca de 70 milhões de euros por ano às empresas
Bloomberg
Lusa 05 de Outubro de 2016 às 07:41

De acordo com os dados da secretaria de Estado da Energia, cada beneficiário de tarifa social de electricidade custa em média 102,90 euros por ano, o que significa que o conjunto de consumidores de electricidade com desconto pesa cerca de 70,4 milhões de euros nas contas das empresas.

 

Os descontos na electricidade para as famílias carenciadas são integralmente suportados pelos produtores de electricidade, desde 1 de Julho, com a integração do apoio social extraordinário ao consumidor de energia (ASECE) na tarifa social.

 

A ASECE, instrumento de apoio social aos clientes de electricidade economicamente vulneráveis, atribuída em simultâneo com a tarifa social, era antes suportada pelo Estado.

 

A tarifa social da electricidade representa um desconto de 33,8% face às tarifas transitórias de venda a clientes finais (antes do IVA e outras taxas), isto é, os preços de referência do mercado regulado, mas os consumidores que já estão no mercado livre beneficiam da mesma redução.

 

A tarifa social da electricidade representa um desconto de 33,8% sobre a factura, o que significa um cliente que pague 25,4 euros passar a pagar 16,81 euros, ou seja, poupa 8,59 euros por mês.




A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Vítor Mota 05.10.2016

E os lucros bilionarios surgem de onde? Da boa gestão? Ou dos roubos de igreja? Jornalismo da treta!

Aarão Zarco 05.10.2016

Custa? Deixam de chular!

João Cerqueira 05.10.2016

Há um museu em Lisboa que tem ser pago, e o dinheiro não cai do céu.

Nuno Alves 05.10.2016

Empresas ou clientes?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub