Energia Tecnologia made in Portugal nas centrais eléctricas do Egipto

Tecnologia made in Portugal nas centrais eléctricas do Egipto

A Siemens vai fornecer três centrais eléctricas ao Egipto, tendo em vista o aumento de produção de energia eléctrica em 45% e a poupança de 1,2 mil milhões de euros em combustíveis no país.
Tecnologia made in Portugal nas centrais eléctricas do Egipto
Bloomberg
Negócios 16 de março de 2017 às 14:33
As centrais eléctricas, fornecidas pela Siemens, juntamente com os parceiros egípcios Elsewedy Electric e Orascom Construction, vão funcionar com 24 turbinas a gás e aumentar a capacidade de produção de energia do Egipto em 45%, produzindo electricidade suficiente para 45 milhões de pessoas, segundo afirma a empresa em comunicado.
 
Com este projecto, estima-se que o Egipto conseguirá poupar 1,2 mil milhões de euros em combustíveis e que, após a sua conclusão, prevista para Maio de 2018, estas centrais serão as maiores centrais a gás natural de ciclo combinado do mundo, segundo avança a mesma fonte. Funcionando em regime chave na mão, as três centrais eléctricas (Beni Suef, Burullus e New Capital) apresentam uma capacidade total de 14,4 GW.

A primeira fase do projecto foi inaugurada a semana passada pela chanceler alemã, Angela Merkel, e pelo presidente do Egipto, Abdel Fattah El-Sisi, onde foi possível ligar à rede 4,8 GW, alcançando o objectivo de aumentar a capacidade da mesma (visto que 400 Megawatts é suficiente para fornecer electricidade a mais de um milhão de cidadãos egípcios).

Dos 742 quadros eléctricos encomendados a Portugal, foram já entregues 666 pela Fábrica de Corroios, no concelho do Seixal. A Fábrica de Corroios, que exporta 95% dos seus equipamentos para países como a Alemanha, Angola, Brasil, África do Sul, Austrália, México, Coreia do Sul e Emirados Árabes Unidos, foi a escolhida pelo Grupo para ser responsável pela produção e fornecimento de quadros eléctricos de média tensão e de quadros de comando e controlo de turbinas neste projecto.  

18 meses depois da assinatura do maior contrato de sempre da Siemens, estão no terreno mais de 20.000 trabalhadores e são mais de 5.500 os egípcios a receber formação. O contrato realizado inclui ainda o fornecimento de 12 turbinas a vapor, 36 geradores, 24 geradores de vapor de recuperação de calor e três quadros de distribuição isolados a gás de 500 kV (cada) pela Siemens.

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub