Tecnologias Tecnológicas ponderam enviar carta aberta a Trump

Tecnológicas ponderam enviar carta aberta a Trump

O Facebook, a Google, a Apple, o Facebook e o Uber estão a trabalhar numa carta onde salientam que são contra o decreto que impede a entrada de cidadãos de sete países muçulmanos nos EUA. Missiva pode surgir depois de algumas empresas apoiarem processo contra medida.
Tecnológicas ponderam enviar carta aberta a Trump
Mariana Bazo/Reuters
Ana Laranjeiro 02 de fevereiro de 2017 às 11:41

A Alphabet (dona da Google), a Apple, o Facebook, a Uber, a Stripe são algumas das empresas tecnológicas norte-americanas que estão a ponderar enviar uma carta ao presidente do Estados Unidos, Donald Trump, onde manifestam a sua oposição ao decreto que proíbe a entrada de cidadãos de sete países maioritariamente muçulmanos.

A notícia foi avançada nomeadamente pelo site Recode. A publicação avança, citando fontes, que estas empresas estão a liderar a iniciativa. Contudo, a ideia é integrar outras empresas.


A Recode teve acesso a um esboço desta carta. "Desde o nascimento do país, a América tem sido uma terra de oportunidades – recebendo bem os recém chegados e dando-lhes a oportunidade de construírem família, carreiras e negócios nos Estados Unidos.
Somos uma nação que se tornou mais forte devido aos imigrantes. Como empreendedores e líderes de empresas, a nossa capacidade para fazer crescer as nossas companhias e criar empregos depende dos contributos dos imigrantes de todas as origens", começa por dizer o rascunho da missiva.


"Partilhamos o seu objectivo de assegurar que o nosso sistema de imigração vá ao encontro das necessidades de segurança de hoje e mantenha o nosso país seguro. Contudo, preocupa-nos que a sua recente ordem executiva vá afectar muitos detentores de vistos que trabalham duramente aqui nos Estados Unidos e contribuem para o sucesso do nosso país. Numa economia global, é fundamental que continuemos a atrair os melhores e os mais inteligentes de todo o mundo", pode ler-se ainda no rascunho.

Na última sexta-feira, Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, assinou um decreto em que proíbe a entrada de cidadãos de sete países maioritariamente muçulmanos por um período de três meses. O programa que permite a entrada de refugiados está também suspenso mas por um período de quatro meses.

A forte oposição das empresas tecnológicas à medida assinada na passada sexta-feira já foi expressa por várias vezes. Ao longo da semana têm sido publicadas notícias pela imprensa norte-americana que indicam que há empresas que vão, e outras ponderam, ajudar o Procurador-geral do Estado do Washington na acção judicial que ser movida contra este decreto.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
CaTu Há 3 semanas

Eu tentava não complicar muito a carta, reduzia tudo a frases simples, muito simples e não escrevia mais do que 2 a 3 linhas senão o Trump adormece, e todos os subscritores devem ser manifestamente mais ricos que o Trump

Anónimo Há 3 semanas

Sr. Anónimo, porquê EXTREMAMENTE EGOÍSTAS? Porque geram e gerem muito dinheiro?
Depreendo das suas palavras que seja muito generoso...! Se pudesse convidava-o a ser proprietário de uma dessas fortunas, mas, claro, também a geri-la em proveito de todos nós... No que me toca, dispenso essa tarefa.

Anónimo Há 3 semanas

O que me dá mais azia é estes politicos(44/xexe) roubarem o povo e deixarem o país em BANCARROTA. O resto são consequências.

investidor1 Há 3 semanas

https://goo.gl/forms/aPjvpQFDIwZ1Pphl1

Obrigado!

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub