Banca & Finanças Teixeira dos Santos: "O Banco de Portugal é um bode expiatório fácil"

Teixeira dos Santos: "O Banco de Portugal é um bode expiatório fácil"

Teixeira dos Santos defende mais responsabilização dos clientes bancários e mais coordenação de supervisores. Aos ataques ao Banco de Portugal chama "a espuma da política".
Teixeira dos Santos: "O Banco de Portugal  é um bode expiatório fácil"
Bruno Simão/Negócios
Maria João Gago 27 de julho de 2017 às 22:06

Teixeira dos Santos defende mais responsabilização dos clientes bancários e mais coordenação de supervisores. Aos ataques ao Banco de Portugal (BdP) chama "a espuma da política".

Há uma reforma da supervisão em curso. O que deveria mudar?
Tem havido uma preocupação de regulamentar muito a actividade financeira. Isso correspondeu à necessidade de sinalizar aos cidadãos que as autoridades estão atentas e que vão poder controlar melhor as operações e a assunção de riscos por parte das entidades. Creio que nem tudo se resolve pela via da regulação. Há que fomentar uma cultura de governação das instituições. É preciso melhorar a comunicação com os utentes dos serviços. Nem todos os incidentes que tivemos no sistema financeiro se deveram só a erros cometidos por uma das partes das transacções. Do lado das empresas e famílias, há que ter maior consciência de que, numa operação financeira, estão a assumir risco e responsabilidades.


Isso é possível com o modelo actual de supervisão?
Temos a ganhar com o reforço da coordenação e cooperação entre as entidades. Temos vivido um modelo já há décadas de silos, com três instituições, cada uma com o seu silo. Precisamos de maior transversalidade até porque o mundo financeiro é mais complexo. A interpenetração dos produtos de banca, seguros e mercado de capitais é maior.

Este Governo fez muitos ataques ao BdP. Isso fragiliza-o?
O BdP, perante os episódios que marcaram o sistema financeiro, foi chamado a explicar muita coisa. Como instituição tem de ser capaz de conviver com esta nova realidade e saber explicar devidamente o seu papel, o que fez e porque tomou certo tipo de decisões. O resto diria que é muito aquilo a que chamaria a espuma da política, que não valorizo muito. Do ponto de vista político, é sempre mais fácil encontrar um bode expiatório para o que aconteceu. Perante os episódios que tivemos, o BdP é um bode de expiatório fácil.




Saber mais e Alertas
pub