Banca & Finanças Teixeira dos Santos: "O Banco de Portugal é um bode expiatório fácil"

Teixeira dos Santos: "O Banco de Portugal é um bode expiatório fácil"

Teixeira dos Santos defende mais responsabilização dos clientes bancários e mais coordenação de supervisores. Aos ataques ao Banco de Portugal chama "a espuma da política".
Teixeira dos Santos: "O Banco de Portugal  é um bode expiatório fácil"
Bruno Simão/Negócios
Maria João Gago 27 de julho de 2017 às 22:06

Teixeira dos Santos defende mais responsabilização dos clientes bancários e mais coordenação de supervisores. Aos ataques ao Banco de Portugal (BdP) chama "a espuma da política".

Há uma reforma da supervisão em curso. O que deveria mudar?
Tem havido uma preocupação de regulamentar muito a actividade financeira. Isso correspondeu à necessidade de sinalizar aos cidadãos que as autoridades estão atentas e que vão poder controlar melhor as operações e a assunção de riscos por parte das entidades. Creio que nem tudo se resolve pela via da regulação. Há que fomentar uma cultura de governação das instituições. É preciso melhorar a comunicação com os utentes dos serviços. Nem todos os incidentes que tivemos no sistema financeiro se deveram só a erros cometidos por uma das partes das transacções. Do lado das empresas e famílias, há que ter maior consciência de que, numa operação financeira, estão a assumir risco e responsabilidades.


Isso é possível com o modelo actual de supervisão?
Temos a ganhar com o reforço da coordenação e cooperação entre as entidades. Temos vivido um modelo já há décadas de silos, com três instituições, cada uma com o seu silo. Precisamos de maior transversalidade até porque o mundo financeiro é mais complexo. A interpenetração dos produtos de banca, seguros e mercado de capitais é maior.

Este Governo fez muitos ataques ao BdP. Isso fragiliza-o?
O BdP, perante os episódios que marcaram o sistema financeiro, foi chamado a explicar muita coisa. Como instituição tem de ser capaz de conviver com esta nova realidade e saber explicar devidamente o seu papel, o que fez e porque tomou certo tipo de decisões. O resto diria que é muito aquilo a que chamaria a espuma da política, que não valorizo muito. Do ponto de vista político, é sempre mais fácil encontrar um bode expiatório para o que aconteceu. Perante os episódios que tivemos, o BdP é um bode de expiatório fácil.




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 27.07.2017

"Teixeira dos Santos defende mais responsabilização dos clientes bancários"
Tem toda a razão, a culpa é das pessoas que ainda entram nesses locais de vigarice e burla, ou atendem telefonemas ou cedem a contactos dos bancários.
Este sr. além de ex-min. das finanças também foi presidente da CMVM no tempo de grandes vigarices, pelo tem culpas na degradação a que a banca chegou.
Ainda me lembro quando rebentou o 1º Escândalo BCP ele ter dito "doa a quem doer" ficou a doer às vítimas.

http://www.tvi24.iol.pt/governo/teixeira-dos-santos/bcp-ministro-das-financas-quer-punicoes-doa-a-quem-doer

(O ministro de Estado e das Finanças, Teixeira dos Santos, defendeu este domingo que as denúncias de «operações ilegais» e «eventuais ilícitos criminais» no Banco Comercial Português (BCP) devem ser investigadas e os culpados punidos, «doa a quem doer».)

O Campo Pequeno é mesmo pequeno.

comentários mais recentes
violas3 28.07.2017

Impressiona a leveza da consciência deste inapto inimputável. Foi a maior nódoa de sempre como MF. Acabou com os certificados de aforro e a seguir estava a endividar o país a juros de 7%.
Os incapazes defendem-se uns aos outros. É o Princípio de Peter.
Se fosse na China, tu e o teu amigo que de-lapidaram o erário público em muitas dezenas de milhares de milhões de € há muito que estavam a fazer tijolo.

Ze´ 28.07.2017

Mais um boy ranhoso numa versão tripeira bacoca. Este fdp parece que foi professor de vigaros e agora sugere que os clientes dos bancos se apresentem aos balcões com um policia um contabilista e um advogado ?
Vai trabalhar cabr@o,

Anónimo 28.07.2017

Foi por causa deste e outros incompetentes e oportunistas que a banca passou pelo que passou e há-de voltar a passar porque terá sempre amigalhaços nos (des)governos para obrigar o contribuinte a pagar. Tenho nojo desta gente.

J. SILVA 28.07.2017

O TS Faz este elogio ao bandido do governador porque são amigalhaços e conterrâneos. Aliás o Teixeira dos Santos(TS) não tinha qualquer experiência de gestão bancários e passou no crivo furado e promíscuo da honorabilidade do governador. Este TS tem uma puta duma lata, já está na maior, nojento.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub