Comércio Telepizza e Pizza Hut querem alargar aliança a Portugal e Espanha

Telepizza e Pizza Hut querem alargar aliança a Portugal e Espanha

Em Outubro foi noticiado que Telepizza e a Pizza Hut estavam em negociações para formarem uma aliança nos mercados internacionais. O objectivo desta aliança é a aposta na América Latina. Uma aposta que as empresas querem alargar à Península Ibérica.
Telepizza e Pizza Hut querem alargar aliança a Portugal e Espanha
Ana Laranjeiro 16 de janeiro de 2018 às 09:05

A espanhola Telepizza e a norte-americana Yum, que detém a marca Pizza Hut, querem alargar a aliança que estão a forjar na América Latina à Península Ibérica, avança esta manhã o jornal espanhol elEconomista.

No passado mês de Outubro, foi noticiado que a Telepizza e a Pizza Hut estavam em negociações para uma aliança nos mercados internacionais. Não está em causa uma fusão ou compra. O que as duas marcas pretendem, diziam na altura, era criar "sinergias" em áreas como a financeira ou de operações. Além disso, definirão em conjunto uma estratégia de expansão nos mercados internacionais, com foco para a América Latina.

Esta manhã, o jornal espanhol explica, citando fontes próximas da operação, que a cadeia de comida rápida espanhola, que está a ultimar a aliança empresarial com a Yum para a América Latina, quer precisamente alargar essa aliança a Portugal e Espanha.

Para as duas empresas, esta aliança, que está a ser forjada e que pretendem alargar à Península Ibérica, pode representar um meio de consolidação de crescimento. O elEconomista adianta que os norte-americanos têm como objectivo actual impulsionar o seu negócio. Enquanto os espanhóis da Telepizza encaram esta aliança como um passo estratégico para a consolidação do crescimento.

A Telepizza terminou o último exercício com uma facturação de 339 milhões de euros, tendo 1.440 restaurantes espalhados por 19 países, segundo a mesma fonte.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub