Telecomunicações Televisão do futuro do Grupo Vodafone vai ser desenvolvida a partir de Portugal

Televisão do futuro do Grupo Vodafone vai ser desenvolvida a partir de Portugal

A Vodafone Portugal foi eleita pela casa-mãe para acolher o novo centro de competências para o desenvolvimento de TV. O projecto vai criar, para já, 80 postos de trabalho qualificado.
Televisão do futuro do Grupo Vodafone vai ser desenvolvida a partir de Portugal
Pedro Elias/Negócios
Sara Ribeiro 10 de Outubro de 2016 às 14:19

"Desde os saudosos Beatles, o primeiro homem a pisar a Lua, à queda do muro de Berlim até à mais recente vitória de Portugal no Europeu de futebol" foram vários os momentos que milhões de pessoas puderam assistir através do pequeno ecrã. "Alguns a preto e branco outros com chuva", começou por relembrar Mário Vaz, CEO da Vodafone Portugal, na inauguração oficial do novo centro de competências para o desenvolvimento de televisão que a subsidiária portuguesa passou a acolher.

 

O objectivo era sublinhar a importância da televisão, uma aposta que tem estado no topo das apostas da Vodafone Portugal, operadora que começou a trilhar o seu percurso em terra lusas com a oferta móvel, na altura enquanto Telecel.

 

Nos último três anos a operadora "pôs em marcha um ambicioso plano de investimento" nesta área,  onde o desenvolvimento da rede está incluído. Hoje chega a 2,5 milhões de casas através da rede fixa e duplicou a quota de mercado de 6 para 12%.

 

Uma aposta que será agora reforçada com a abertura do novo centro de competências que já conta com 80 engenheiros a trabalhar nas instalações situadas na sede da empresa, no Parque das Nações.

 

"A grande maioria" são novas contratações de jovens licenciados em várias universidades portuguesas, detalhou Mário Vaz.

 

Estes profissionais vão contar com a ajuda de mais 100 quadros da Vodafone, que já trabalham noutras áreas do grupo, para desenvolver e gerir, a partir de terras lusas, a televisão de última geração.

 

O TV Hub, como foi designado o novo centro, vai não só trabalhar para o mercado português mas também para Espanha, Roménia, Irlanda, Grécia, Alemanha, Holanda e Nova Zelândia.

 

Com a abertura deste novo centro, a Vodafone Portugal passa a acolher três centros de competências do Grupo. A subsidiária portuguesa já acolhia o Atlantic NOC (operações de rede) e o centro para desenvolvimento de soluções IoT.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

mais sensacionalismo barato, para se desenvolver algo tem primeiro de se investir, que palhaçada os Operadores hoje em dia estão reduzidos a casas de marketing barato.

Não recomendo Vodafone 10.10.2016

Tive 6 meses e precisei de 6 intervenções técnicas. Mandei-os pastar. Tenho MEO e nunca falhou.

joca 10.10.2016

vivo em frança e comparando, posso garantir-vos que a vodafone portugal ja tem a televisao do futuro neste momento

Anónimo 10.10.2016


PS DEIXA MORRER UTENTES DO SNS... PARA DAR MAIS DINHEIRO À FP:

- PS aumenta despesa com salários da FP em 500 milhões de Euros;

- PS reduz horário da FP para 35 horas;

- PS corta orçamento dos Hospitais Públicos.

pub
pub
pub
pub