Tecnologias Tem um Galaxy Note 7? A Samsung pede para o desligar

Tem um Galaxy Note 7? A Samsung pede para o desligar

A empresa sul-coreana decidiu suspender as vendas devido ao risco de incêndio do aparelho e pediu aos utilizadores que deliguem o "smartphone".
Tem um Galaxy Note 7? A Samsung pede para o desligar
DR Samsung

Na Samsung as más notícias não parecem ter fim. Depois de ter anunciado o cancelamento da produção do Galaxy Note 7, a firma sul-coreana anunciou agora uma medida mais radical, ao suspender as vendas e trocas de todos os aparelhos desta gama.

 

Num comunicado, a empresa sul-coreana refere que pediu aos retalhistas que retirem os aparelhos das suas lojas e que também não procedem às trocas que estavam a decorrer.

 

Aos consumidores que têm um Galaxy Note 7 (o original ou o que já foi trocado) a Samsung está a pedir para que desliguem o aparelho e contactem a loja onde este foi comprado.

 

Na nota publicada no seu site, a Samsung diz que os detentores do Note 7 podem optar desde já por trocar o seu aparelho pelo Galaxy S7 ou pelo Galaxy S7 edge.   

 

"Permanecemos comprometidos a trabalhar de forma diligente com as autoridades competentes de forma a dar todos os passos para resolver a situação", refere o comunicado da empresa.

 

Este novo revés no "smartphone" da empresa sul-coreana surge depois de terem sido relatos de que o aparelho se incendiava. Já esta manhã a Samsung tinha anunciado a suspenção temporária da produção do Galaxy Note 7.

 

A T-Mobile US e  Telstra já tinham suspendido a venda destes equipamentos depois de ter sido noticiado que as baterias de alguns dos Note 7 incendiavam-se quando estavam a carregar.

A 2 de Setembro, a Samsung emitiu um comunicado oficial a admitir o problema e a confirmar a suspensão das vendas do equipamento. Segundo a tecnológica, naquela altura "foram reportados 35 casos a nível global".


A notícia da explosão de vários equipamentos deste segmento levou a que várias transportadoras aéreas proibissem o uso deste smartphone a bordo dos seus aviões.

 

Bryan Ma, vice-presidente da área de pesquisa sobre equipamentos da IDC, disse à Bloomberg que o caso dos Note 7 é "um pesadelo contínuo". "Era de esperar que eles pudessem já ter ultrapassado isto e seguido em frente", disse ainda.


Em meados de Setembro surgiram notícias que indicavam que, no início deste ano, a empresa sul-coreana ouviu rumores que o iPhone que a Apple iria apresentar em 2016 não continha inovações de cortar a respiração. Pelo contrário. O dispositivo da empresa da maçã iria ser semelhante aos dois modelos anteriores. E aos ouvidos da liderança da Samsung isto surgiu como uma oportunidade. A sul-coreana decidiu assim acelerar o lançamento do novo "smartphone", considerando que este dispositivo iria deslumbrar os consumidores e poderia capitalizar a oportunidade, contaram fontes à Bloomberg. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Os Coreanos não conhecem o provérbio "a pressa é inimiga da perfeição" ?

pub