Comércio Tesco compra Booker por 4,35 mil milhões

Tesco compra Booker por 4,35 mil milhões

Os accionistas da Booker vão deter 16% da Tesco, que com este negócio reforça a liderança no retalho britânico.
Tesco compra Booker por 4,35 mil milhões
Bloomberg
Nuno Carregueiro 27 de janeiro de 2017 às 08:09

A Tesco, líder no retalho alimentar no Reino Unido, anunciou esta sexta-feira que chegou a acordo para comprar a Booker Group num negócio avaliado em 3,7 mil milhões de libras (4,35 mil milhões de euros).

 

Por cada acção da Booker, os accionistas vão receber 0,861 novas acções da Tesco e 42,6 pence em dinheiro. Tendo em conta que as acções da Booker fecharam ontem a valer 205,3 pence, a oferta incorpora um prémio de 12%, segundo um comunicado conjunto das duas companhias.

 

Depois de concluída a oferta, os accionistas da Booker vão ficar com cerca de 16% da nova Tesco, sendo que a operação deverá gerar sinergias anuais de 200 milhões de libras (235 milhões de euros), além de uma poupança de custos de pelo menos 175 milhões de libras (209 milhões de euros).

 

A Tesco tem a maior rede de supermercados do Reino Unido e a Booker é a maior companhia de cash & carry (comércio por grosso) no segmento alimentar. 

 

"Esta fusão com a Booker vai reforçar as perspectivas de crescimento da Tesco, ao criar uma empresa líder no negócio alimentar com conhecimento no retalho, comércio por grosso e digital", afirmou o Ceo da Tesco, Dave Lewis, garantindo que a operação é positiva para os consumidores, retalhistas independentes, fornecedores, trabalhadores e accionistas.

 

Depois de um período de turbulência, a Tesco tem nos últimos anos focado atenções no seu mercado doméstico, alienando vários activos internacionais.  

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub