Automóvel Tesla ordena recolha de 53 mil carros por problema no travão de estacionamento

Tesla ordena recolha de 53 mil carros por problema no travão de estacionamento

Em causa estão viaturas Model S e Model X. A empresa garante que não houve acidentes ligados à peça defeituosa.
Tesla ordena recolha de 53 mil carros por problema no travão de estacionamento
Direitos Reservados
Paulo Zacarias Gomes 20 de abril de 2017 às 19:28
O fabricante de automóveis eléctricos Tesla vai recolher a nível mundial 53 mil veículos dos modelos Model S e Model X, devido a um problema identificado nos seus travões eléctricos de estacionamento.

De acordo com um comunicado da marca, a recolha abrange carros fabricados entre Fevereiro e Outubro de 2016 nos quais foi instalado um travão eléctrico com uma pequena peça "que pode ter sido fabricada de forma indevida."

A Tesla garante, no entanto, que o defeito - que pode impedir que o travão seja desactivado - não esteve na origem de nenhum acidente nem causou ferimentos. 

Quando esta peça se parte, o carro fica impedido de se deslocar e o travão fica encravado na posição de estacionamento. Os condutores cujos carros apresentem estes problemas são avisados da anomalia através do sistema de bordo.

"Determinámos ainda que apenas uma pequena percentagem de peças construídas neste período foram mal mal construídas," acrescenta o comunicado, apontando para que 5% das viaturas em causa apresentam o problema.

A marca vai agora entrar em contacto com os clientes por e-mail, dando-lhes a informação sobre como devem proceder para reparar os travões eléctricos de estacionamento da viatura, um processo que demora cerca de 45 minutos. 

No ano passado a empresa anunciou a recolha de 2.700 viaturas Model X nos EUA devido a deficiência identificada em dobradiças de assentos.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub