Start-ups The Journey: Escolhidas as 11 start-ups que vão integrar aceleração, 5 são portuguesas

The Journey: Escolhidas as 11 start-ups que vão integrar aceleração, 5 são portuguesas

O programa de aceleração de start-ups para a área do turismo já escolheu as 11 empresas que vão integrar o programa e cinco são portuguesas. O The Journey arranca a 4 de Setembro.
The Journey: Escolhidas as 11 start-ups que vão integrar aceleração, 5 são portuguesas
Pedro Zenkl/Correio da Manhã
Ana Laranjeiro 04 de julho de 2017 às 13:41

O The Journey, acelerador para projectos da área do turismo, já escolheu as 11 start-ups que vão participar no programa de aceleração que começa a 4 de Setembro e que se prolonga-se até ao início de Novembro, refere o comunicado enviado às redacções. Cinco dessas empresas são nacionais: a Airbot Technology, Doinn, Ecocubo, Ground Control Studios e Visor AI. As restantes start-ups são: as italianas Busrapido.com, a FindMyLost, a Roundstay; a britânica Firefly Experience, a sueca Handiscover e a holandesa Secret City Trails.

Manuel Tânger, Head of Innovation & Corporate Acceleration e co-fundador da Beta-I (entidade que organiza este acelerador), em comunicado, assinala que "importa notar que esta iniciativa surge num momento em que se antecipa que o turismo mantenha a sua trajectória de crescimento nos próximos anos e, para manter este crescimento de forma sustentada, é preciso também alavancar em inovação, assumindo que o erro é uma condição natural para empreender".

Este programa de aceleração é uma iniciativa que junta o Turismo de Portugal e vários parceiros, como a Agência Abreu, Airbnb, Amadeus, Cityrama, Nos, grupo Barraqueiro e grupo Pestana.

Em Março, quando começaram as candidaturas, Nuria Lozano, Strategic Partnerships for Spain & Portugal da Airbnb, contava ao Negócios, que este programa de aceleração "é muito específico e encaixa, perfeitamente, nos nossos valores, pois a Airbnb está em constante evolução e a procurar satisfazer as necessidades dos seus utilizadores". Com este programa, acredita, o futuro das viagens vai ser debatido "um ponto fulcral para a sustentabilidade do turismo e das próprias cidades ou destinos".

"Esperamos ver ideias criativas que envolvam conceitos como sustentabilidade e viagens. Estes dois conceitos têm de estar, cada vez mais, interligados para se ter um turismo saudável e que coabite em perfeita harmonia com a vida própria das cidades e de quaisquer outros destinos", concluiu.

O grupo Barraqueiro, que "tem no seu ADN o espírito empreendedor", é também um dos parceiros deste programa. Pedro Neto, director-geral do grupo Barraqueiro, defendeu na altura que "inovar é a chave para a diferenciação num mercado tão competitivo como este". Por isso, participam neste projecto que "no fundo, vem na continuidade da estratégia definida e m curso".

A Agência Abreu sinalizava que se associaram a este processo não tanto por "necessidade" mas pelo "interesse em receber inputs de fontes externas relevantes é algo que faz parte da nossa história e da nossa cultura empresarial, num contexto de abertura e interacção com outras realidades, outros focos de interesse, outras maneiras de fazer".

 

"Gostaríamos, acima de tudo, que daqui resultasse uma abordagem prática e focada, fazendo emergir empresas e soluções inovadoras, com praticidade, viabilidade e, desejavelmente, com real impacto no negócio e na percepção do sector", rematava a administração da empresa em declarações por escrito.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub