Media Thomson Reuters vai eliminar 2.000 postos de trabalho

Thomson Reuters vai eliminar 2.000 postos de trabalho

A dona da agência de notícias Reuters vai avançar com um plano de reestruturação que prevê a eliminação de dois mil postos de trabalho em 39 países.
Thomson Reuters vai eliminar 2.000 postos de trabalho
Reuters
Negócios 01 de Novembro de 2016 às 12:50
A Thomson Reuters vai eliminar 2.000 postos de trabalho a nível global. O anúncio foi feito esta terça-feira, 1 de Novembro, pela empresa que detém a agência de notícias Reuters.

A medida faz parte do plano de reestruturação que a empresa de media vai implementar em 39 países e vai abranger, sobretudo, os departamentos financeiros e de operações e tecnologia do grupo. O plano não vai abranger as redacções da Reuters.

"Estamos a implementar estas acções agora, porque vemos uma oportunidade real para quebrar silos internos, para ficarmos mais próximos dos clientes e tornar a empresa mais ágil", explicou o presidente executivo do grupo que emprega 48 mil pessoas em todo o mundo.

O grupo de media reportou lucros abaixo do estimado pelos analistas no terceiro trimestre. O lucro sitiou-se em 286 milhões de euros, ou 36 cêntimos por acção, o que compara com os 293 milhões de euros, 36 cêntimos por acção, registados em igual período do ano passado. Os analistas estimavam um lucro por acção de 47 cêntimos.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub