Empresas TMG regressa a Famalicão para investir 52,5 milhões e criar 151 empregos

TMG regressa a Famalicão para investir 52,5 milhões e criar 151 empregos

O grupo TMG, que é detido por uma das famílias mais ricas de Portugal, vai investir 52,5 milhões de euros nas suas icónicas instalações industriais (conhecidas por “pagode chinês”) em Famalicão e criar 151 postos de trabalho.
Rui Neves 07 de outubro de 2016 às 13:15



A sua opinião20
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 07.10.2016


PS LADRÃO, em ação (sempre a roubar os trabalhadores do privado).

COSTA LADRÃO aumenta impostos, aumenta dívida, aumenta despesa com salários e pensões da FP…

e corta em tudo o resto!

comentários mais recentes
Anónimo 07.10.2016

Não foi este jornal que tempos a trás deu a noticia que a heliportugal deste grupo devia não sei quantos milhões aos fornecedores e queria o perdão da divida caso contrario falia. A Heliportugal fez bons negócios com o estado,

A Tal que o Portas obrigou a devolver subsídios que não foram aplicado

Jorge Figueira 07.10.2016

o governo não pode investir , pelas razões que sabemos , agora o privado tem que ser o que diz ser . para ser o que tem sido , enriquecimento rápido e falir bancos . esse privado não obrigado ....

Jorge Figueira 07.10.2016

a estabilidade é uma das formas do investimento crescer . com o PPC não estava a ser estável , mais um ano de PPC e as greves era prato nosso de cada dia . agora temos que criar também nosso , só vir de fora fica curto .

António Maria Lourenço 07.10.2016

Boa, um viva ao regresso do capitalismo tão avesso ao BE.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub