Automóvel Tommy Hilfiger pode encaixar 3 milhões com a venda do seu Ferrari

Tommy Hilfiger pode encaixar 3 milhões com a venda do seu Ferrari

O criador de moda pode levar mais de três milhões de euros para casa. O Enzo é um modelo raro, só com 400 exemplares. O leilão é em Janeiro de 2017.
Ryan Merrill Ryan Merrill Ryan Merrill Ryan Merrill Ryan Merrill
Negócios 06 de dezembro de 2016 às 09:45

Só foram feitos 400 Ferrari Enzo e um deles foi directo para as mãos de Tommy Hilfiger. Agora, o criador de moda norte-americano prepara-se para levar este tesouro de quatro rodas a leilão.

A estimativa apresentada pela agência Bloomberg, após consultar diferentes especialistas, é de que Tommy Hilfiger possa arrecadar mais de três milhões de euros na audição marcada para Janeiro de 2017.


Mas não é por dinheiro que o estilista diz vender o automóvel de 2003 e que conta só com seis mil quilómetros, uma quilometragem muito baixa. "O meu estilo de vida mudou. Já não conduzo carros desportivos como antes. Agora prefiro o meu Rolls-Royce Dawn ou o meu Maybach", afirmou.


A única desvantagem, acreditam os especialistas, pode ser só mesmo a cor vermelha, afastando investidores mais "recatados".


O Ferrari Enzo aplicou muita tecnologia da Fórmula 1 às estradas. É precisamente daí que vem a relação de Tommy Hilfiger com a marca automóvel: o criador chegou a patrocinar a equipa da Ferrari e a desenhar os seus uniformes no final da década de 1990.


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 07.12.2016

QUE NOTÍCIA

pub
pub
pub
pub