Tecnologias Toshiba reconhece imparidades de 5.900 milhões e chairman sai da empresa

Toshiba reconhece imparidades de 5.900 milhões e chairman sai da empresa

Horas depois de ter pedido o adiamento por um mês da apresentação de contas dos primeiros nove meses do ano, a empresa nipónica anunciou o valor das imparidades a registar com o negócio nuclear nos EUA e a previsão de perdas para todo o ano fiscal.
Toshiba reconhece imparidades de 5.900 milhões e chairman sai da empresa
Bloomberg
Paulo Zacarias Gomes 14 de fevereiro de 2017 às 09:55

Cinco horas depois de ter anunciado o adiamento, por um mês, da apresentação de contas trimestrais, a Toshiba divulgou o impacto das imparidades relacionadas com a sua operação nuclear nos EUA.


Com a revelação desse valor – 712,5 mil milhões de ienes (5.900 milhões de euros à cotação actual), que ainda precisa de ser auditado – veio também esta terça-feira, 14 de Fevereiro, a notícia da demissão do chairman da tecnológica japonesa, Shigenori Shiga.


Em face destas perdas, a empresa prevê agora registar prejuízos de 390 mil milhões de ienes (3,23 mil milhões de euros) para todo o ano fiscal até Março de 2017, um cenário bem mais negro que os lucros de 1,2 mil milhões de euros anteriormente esperados, avança o Financial Times.


As acções da Toshiba chegaram a cair 10,52% esta terça-feira na bolsa japonesa depois de a tecnológica nipónica ter adiado a divulgação de contas relativas aos primeiros nove meses do ano.

À hora programada, emitiu um comunicado em que referia que precisaria de mais um mês para avaliar as perdas relacionadas com o negócio nuclear e para análise jurídica de informações.

 

Em Dezembro a empresa tinha confirmado que a disputa em torno do valor da empresa do sector da energia nuclear adquirida em 2006 através da subsidiária Westinghouse Electric (no valor de 5.000 milhões de euros), levaria a perdas por imparidades "de muitos milhares de milhões de dólares", sem especificar quanto.

As acções da Toshiba perderam 9,2% para 227 ienes na sessão desta terça-feira. A tecnológica foi uma das cotadas que mais desvalorizou em Tóquio, que encerrou a sessão a cair 1,13%. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub