Automóvel Toyota vai criar 400 empregos nos EUA após críticas de Trump contra fábrica no México

Toyota vai criar 400 empregos nos EUA após críticas de Trump contra fábrica no México

A Toyota disse que vai investir 600 milhões de dólares (559 milhões de euros) e criar 400 empregos numa das suas fábricas nos EUA, duas semanas depois de Donald Trump ter criticado os planos da empresa para o México.
Toyota vai criar 400 empregos nos EUA após críticas de Trump contra fábrica no México
Bloomberg
Lusa 25 de janeiro de 2017 às 08:01

O Presidente norte-americano tem pressionado os fabricantes automóveis -- tanto norte-americanos como estrangeiros -- a aumentarem as respectivas produções e contratações nos Estados Unidos, ameaçando-os com tarifas punitivas se deslocalizarem as suas fábricas e empregos para fora do país.

 

"Este projecto de expansão é parte da estratégia de localização da Toyota para construir veículos onde eles são vendidos", disse o fabricante japonês em comunicado na terça-feira.

 

O investimento é destinado a aumentar a produção de SUV numa fábrica no estado do Indiana, de onde é oriundo o vice-presidente Mike Pence.

 

A Toyota emprega actualmente 5.000 trabalhadores na fábrica da cidade de Princeton.

 

Este número está incluído nas cerca de 40.000 pessoas que o fabricante japonês emprega directamente nos Estados Unidos, disse à AFP uma porta-voz da Toyota.

 

A empresa disse que o investimento previsto de 10 mil milhões de dólares (9,3 mil milhões de euros) para os próximos cinco anos "mostra o compromisso da Toyota em continuar o investimento nos Estados Unidos".

 

O projeto para modernizar a fábrica e aumentar a sua competitividade deverá ter início em 2019, disse a Toyota.

 

No início deste mês, antes de tomar posse como Presidente, Donald Trump ameaçou a Toyota com tarifas por causa de uma nova fábrica automóvel planeada para o México.

 

"Nem pensar! Construam uma fábrica nos Estados Unidos ou vão pagar impostos aduaneiros elevados", escreveu Trump no Twitter.

 

A Toyota anunciou que vai construir uma nova fábrica no México, que deverá iniciar a produção em 2019. 


A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 25.01.2017

Foi so o homem abrir a boca que as empresas meteram os rabinhos entre as pernas e saíram tudo correndo.

Anónimo 25.01.2017

A geringonça beija e miró o cu ao rei depois a recompeça é ALMERAZ. Com Trump isto não funciona com beijos.

apmendes61 25.01.2017

As empresas a porem-se de cócoras perante sua excelência.

PPD 25.01.2017

A europa deveria fazer o mesmo aos MONHÉS americanos.....

pub