Empresas Trabalhadoras da Triumph vão abrir conta solidária e já têm administradora de insolvência

Trabalhadoras da Triumph vão abrir conta solidária e já têm administradora de insolvência

As trabalhadoras da antiga fábrica da Triumph, em Sacavém, Loures, decidiram esta segunda-feira abrir uma conta solidária para apoiar os casos mais urgentes, no dia em que souberam da nomeação de uma administradora de insolvência que irá avaliar a situação da empresa.
Trabalhadoras da Triumph vão abrir conta solidária e já têm administradora de insolvência
Lusa
Lusa 22 de janeiro de 2018 às 20:50

Depois de uma concentração, durante a manhã, junto ao Palácio de Belém, as trabalhadoras da antiga Triumph reuniram-se em plenário e aprovaram a criação de uma conta bancária solidária para apoiar as funcionárias que não recebem salário há quase dois meses.

 

"Amanhã já teremos o número da conta onde poderão ser depositados os donativos para apoiar as trabalhadoras que estão sem receber há 55 dias, e que também não receberam o subsídio de Natal", disse à agência Lusa Mónica Antunes, dirigente do sindicato dos têxteis do Sul.

 

Segundo a sindicalista, foi hoje nomeada uma administradora de insolvência, que irá analisar a situação da fábrica para saber se decreta a sua insolvência ou não.

 

As trabalhadoras vão dar uma conferência de imprensa na terça-feira de manhã, junto à empresa, que contará com a participação do presidente da Câmara Municipal de Loures.

 

As trabalhadoras da fábrica da antiga Triumph estão desde o dia 5 de Janeiro em vigília à porta da empresa, depois de terem tomado conhecimento de que a administração tinha iniciado um processo de insolvência.

 

Na quinta-feira, as trabalhadoras manifestaram-se à porta da Presidência do Conselho de Ministros, onde apelaram ao Governo para intervir no processo, de forma a evitar o encerramento da fábrica de roupa feminina.

 

A fábrica da antiga Triumph, situada na freguesia de Sacavém, concelho de Loures, foi adquirida no início de 2017 pela TGI-Gramax e emprega actualmente 463 trabalhadores.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub