Automóvel Trabalhadores da Autoeuropa fazem greve a 30 de Agosto

Trabalhadores da Autoeuropa fazem greve a 30 de Agosto

Os trabalhadores não concordam com as condições oferecidas pela administração para compensar o trabalho ao sábado e decidiram avançar para greve. Além de 30 de Agosto, os trabalhadores podem vir a parar mais cinco dias em Setembro.
Trabalhadores da Autoeuropa fazem greve a 30 de Agosto
Bruno Simão
André Cabrita-Mendes 21 de julho de 2017 às 16:35
A Autoeuropa vai estar parada no dia 30 de Agosto. Os trabalhadores aprovaram greve para este dia em protesto contra as condições oferecidas pela administração em troca do trabalho ao sábado.

Actualmente a fábrica da Volkswagen não labora ao sábado, mas este dia vai ser introduzido nos próximos meses para cumprir as metas de produção para o novo modelo: o SUV citadino T-Roc. 

O dia de greve foi aprovado em dois plenários de trabalhadores que tiveram lugar na Autoeuropa esta sexta-feira, 21 de Julho, conforme avançou ao Negócios Manuel Bravo do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Sul (SITE Sul).

O pré-aviso de greve vai agora ser entregue à administração da fábrica de Palmela e ao Ministério do Trabalho e da Segurança Social na segunda-feira, avançou o representante do maior sindicato da Autoeuropa, afecto ao CGTP.

A necessidade de laborar mais um dia da semana prende-se com o aumento da produção da Autoeuropa que deverá produzir mais de 200 mil automóveis em 2018, o dobro do registado em 2016, à boleia das vendas do T-Roc.

"O verdadeiro problema em cima da mesa é que a fábrica quer que nós vamos trabalhar ao sábado e pagar como se fosse um dia normal de trabalho", explica um dos trabalhadores da Autoeuropa ao Negócios. 

As negociações decorrem há alguma tempo e foram interrompidas pela administração numa reunião na sexta-feira, 14 de Julho. As condições oferecidas pela administração não foram aceites pela comissão de trabalhadores.

"A administração afirmou que irá aplicar o seu modelo de trabalho pelo facto da Comissão de Trabalhadores recusar dar o seu apoio a tais propostas. Face a esta atitude a Comissão de Trabalhadores convocou de imediato plenários para esta semana com o objectivo de marcar formas de luta e exigir outra solução", dizia um comunicado que circulou pela fábrica esta semana, apurou o Negócios.

No plenário que teve lugar esta tarde na Autoeuropa os trabalhadores também aprovaram cinco dias de greve entre 4 e 9 de Setembro. Só que esta moção ainda vai ter de ser votada pelo turno da manhã. Se for aprovada, a produção da Autoeuropa irá estar congelada durante um total de seis dias no espaço de duas semanas. 



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 23.07.2017

A comissão não e fraquinha, a administração é que é arrogante...chegaram os portugueses ao poder e começa a vergonha. Já não bastava a maior parte dos managers portugueses da AE serem de uma incompetência fora do normal, mas compreende-se isto bem, pois na AE só são promovidos os amigos e os yes man

Anónimo 22.07.2017

Está comissão de trabalhadores é muito fraquinha, em 24 anos que tenho de empresa nunca se recorreu a nenhum sindicato para negociar fosse o que fosse. Os trabalhadores ao longo destes anos se tivesse optado por algumas das muitas propostas sindicalistas já tinha fechado as portas.

pub
pub
pub
pub